Castelo de Guimarães, Portugal

Guimarães, Aqui Nasceu Portugal

Guimarães, Aqui Nasceu Portugal.

Conhecemos Guimarães num bate-volta a partir da cidade de Braga. As duas cidades são muito próximas, só 25 km pela autoestrada A11. Guimarães é uma cidade do Distrito de Braga, que fica no norte de Portugal, já bem próximo da Espanha, a cidade de Braga é a capital do distrito de mesmo nome.

Guimarães tem três importantes atrações turísticas daquelas que temos que conhecer. Uma delas e a mais famosa é o Castelo de Guimarães, outra é o Paço dos Duques de Bragança e a terceira é o Centro Histórico da cidade, uma relíquia medieval e Patrimônio Cultural da Humanidade.

A cidade é chamada de “cidade berço” de Portugal por ter sido ali estabelecido o Centro Administrativo do Condado Portucalense por D. Henrique e depois por seu filho D. Afonso Henriques o 1º Rei de Portugal. Em uma das torres da antiga muralha da cidade está escrito “Aqui Nasceu Portugal”. Aqui foi onde aconteceu a batalha de S. Mamede.

Guimarães, Aqui Nasceu Portugal.
Cidade de Guimarães, Aqui Nasceu Portugal. Foto: Maria Eugênia.

Chegando em Guimarães
Após um café da manhã sem pressa, no Hotel Dona Sofia, em Braga, pegamos o carro e fomos para Guimarães pela autoestrada A11. Chegamos em Guimarães em torno de 10h30 da manhã. A parte antiga da cidade é numa colina, então prepare-se para subir e descer ladeiras.

Igreja Nossa Sra do Carmo e Jardim do Carmo, Guimarães - Portugal.
Igreja Nossa Sra do Carmo e Jardim do Carmo, Guimarães – Portugal. Foto: Maria Eugênia.

Estacionar na rua é complicado, quase não há vagas, o mais prático é colocar o automóvel num estacionamento pago e conhecer a cidade a pé. O site do Município de Guimarães indica alguns estacionamentos e nós escolhemos deixar o carro no Parque Mumadona, um estacionamento subterrâneo, que fica em baixo do Largo Condessa de Mumadona, onde também está o edifício do Tribunal de Justiça de Guimarães. Os estacionamentos em Portugal são baratos, pode usar sem susto.

O Parque Mumadona é bem localizado (veja no mapa), fica próximo das principais atrações turísticas. Do estacionamento até a estátua de D. Afonso Henriques dá em torno de 300 m colina acima. A vantagem desse estacionamento é que a gente caminha 300 metros morro acima e depois de visitar o complexo turístico onde está o Castelo, é só descer o morro. 🙂

Logo na entrada desse complexo turístico há uma estátua de D. Afonso Henriques, o 1º Rei de Portugal. O complexo compreende: o Castelo de Guimarães o Paço dos Duques de Bragança e a Capela de São Miguel.

Estátua de D. Afonso Henriques, Guimarães.
Estátua de D. Afonso Henriques, Guimarães. Foto: Maria Eugênia.

Paço dos Duques de Bragança
Começamos a visita pelo Paço dos Duques de Bragança.  A construção data da primeira metade do século XV. É um palácio com características arquitetônicas de casa fortificada, com inúmeras chaminés cilíndricas que mostram a influência da arquitetura senhorial da Europa Setentrional, é de um exemplar único na Península Ibérica.

Paço dos Duques de Bragança
Paço dos Duques de Bragança. Foto: Maria Eugênia.

O palácio foi construído a mando de Dom Afonso, 1º Duque de Bragança e foi nesse paço que D. Afonso viveu com sua segunda mulher, D. Constança de Noronha, conhecida como a Duquesa Santa. Dom Afonso era um dos homens mais ricos e poderosos de Portugal na sua época. Era filho ilegítimo do Rei D. João I e D. Inês Pires Esteves. Lembra do post sobre o Mosteiro da Batalha? D. João I, o rei que mandou construir o espetacular Mosteiro da Batalha como pagamento de uma promessa feita à Virgem, é o pai do 1º Duque de Bragança.

Paço dos Duques de Bragança na cidade de Guimarães, Portugal.
Paço dos Duques de Bragança na cidade de Guimarães, Portugal.

A partir do século XVI o palácio sofre um abandono progressivo sendo no século XIX convertido em quartel. Somente em 1937 começa a reedificação do palácio, sua recuperação demorou cerca de 20 anos. Em 1959 é transformado em Museu e reaberto ao público. O Paço dos Duques de Bragança é, desde 1910, classificado como Palácio Nacional e residência oficial da Presidência da República Portuguesa quando esse se desloca para o Norte de Portugal.

A visita ao interior da casa senhorial inicia pelo Salão dos Passos Perdidos. Trata-se do salão de espera do Paço. O nome é alusivo ao longo tempo de espera daqueles que pretendiam ser recebidos pelo Duque. O Salão está decorado com mobiliário português e indo-português dos séculos XVII e XVIII.

Salão dos Passos Perdidos no Paço dos Duques.
Salão dos Passos Perdidos no Paço dos Duques.

Observe na foto esquerda abaixo, que o teto do Salão de Banquetes reproduz o casco invertido de uma caravela.

Capela de São Miguel
A Capela de São Miguel do Castelo está classificada como Monumento Nacional É uma pequena capela de estilo românico construída no início do século XII. O piso da capela possui sepulturas que se atribuem a nobres guerreiros ligados à fundação da nacionalidade. Tem um grande simbolismo por ter sido batizado nessa capela,  D. Afonso Henriques o 1º Rei de Portugal.

guimaraes-portugal-capela-s-miguel-castelo-interior
Interior da Capela de São Miguel no Paço dos Duques.

guimaraes-portugal-capela-s-miguel-castelo-pia-batismal
Capela de São Miguel no Paço dos Duques. Pia Batismal.

Cada vez que eu lia textos como esse da pia batismal eu pensava na guerra feita contra a reforma ortográfica da língua portuguesa. Vocês já pensaram se nossa língua não tivesse sido reformada? Era assim que deveríamos escrever ainda hoje. 🙂 🙂

Preços e horários de visitação da Capela
Diariamente das 10h às 18h (última entrada 17h30)
Fecha nos dias de Natal, Ano Novo, Domingo de Páscoa e 1.º de Maio.
Entrada gratuita

Castelo de Guimarães
Super bem conservado (restaurado), o Castelo de Guimarães é uma fortaleza medieval construída entre os anos 950 e 957. A Condessa Mumadona Dias, após ter enviuvado do Conde Hermenegildo Gonçalves, assume o governo do Condado Portucalense e manda construir, por volta do ano de 950, o Mosteiro de Santa Maria na parte baixa de Guimarães e na parte alta manda construir um castelo, denominado Castelo de São Mamede que tinha por objetivo defender o Mosteiro dos constantes ataques dos mouros. No século XII, o Conde D. Henrique e sua mulher D. Tereza vieram viver no Castelo e supõe-se que D. Afonso Henriques tenha nascido aqui.

Castelo de Guimarães, Portugal
Castelo de Guimarães, Portugal. Foto: Maria Eugênia

O Castelo da época da Condessa Mumadona era muito diferente do que existe hoje, ele foi sofrendo várias alterações e reformas ao longo do tempo. A última reforma foi feita no reinado de D. João I. Não tendo mais a função defensiva, as dependências do Castelo de Guimarães passaram a abrigar a Cadeia Municipal, e no século XVII, um palheiro do rei. Foi sofrendo um processo de abandono, degradação e ruína até o século XX, quando inicia-se um ambicioso projeto de recuperação. O Castelo de Guimarães é declarado Monumento Nacional em 1910 e é uma das Maravilhas de Portugal desde 2007.

O interior das muralhas do Castelo de Guimarães
O interior das muralhas do Castelo de Guimarães. Foto: Maria Eugênia.

Preços e horários de visitação
Paço dos Duques de Bragança, Castelo de Guimarães e Igreja de S. Miguel:
Abertos todos os dias das 10h às 18h – Última admissão: 17h30
Fecha nos dias de Natal, Ano Novo, Domingo de Páscoa e 1.º de Maio.

castelo-de-guimaraes-portugal-interno
Subir essas escadas não foi fácil…. Foto: Mª Eugênia

Preços em setembro/2016
Paço dos Duques – Taxa normal: 5,00€
Castelo de Guimarães – Taxa normal: 2,00€

Desconto de 50%
– Visitantes com idade igual ou superior a 65 anos*;
– Cartão de Estudante válido (terá de ter indicação do prazo de validade, segundo a Lei portuguesa) *;
– Cartão Jovem *;
– Família Numerosa (2 adultos + filhos) **;
– Bilhete Família (a partir de 4 elementos com ascendência e/ou descendência em linha reta, ou equivalente, comprovado legalmente) *.

*Requer comprovação documental.
**Requer comprovação documental emitida pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas.

Descontos Especiais
Bilhete Conjunto – Paço dos Duques + Museu de Alberto Sampaio: 6,00€
Bilhete Conjunto – Paço dos Duques + Castelo de Guimarães: 6,00€
Bilhete Conjunto – Paço dos Duques + Castelo de Guimarães + Museu de Alberto Sampaio: 8,00€
Veja mais detalhes e valores atualizados no site oficial do Paço dos Duques.

O Castelo de Guimarães e ao fundo O Paço dos Duques.
O Castelo de Guimarães e ao fundo O Paço dos Duques. Foto: Maria Eugênia.

Pausa para o almoço
Depois da visita ao conjunto turístico formado pelo Castelo, Capela de São Miguel e Paço dos Duques, descemos pelo Largo Martins Sarmento em direção ao restaurante Mumadona que eu havia lido a recomendação em um dos muitos lugares que pesquisei. O restaurante é famoso pelos preços acessíveis que pratica se comparado com os demais. Quando chegamos, já relativamente tarde para almoçar, o restaurante estada entupido de gente e as opções de pratos já se esgotando, então para nós não foi bem uma experiência gastronômica do bom e barato, mas que era lotado de gente isso era. O restaurante fica na Rua Serpa Pinto quase esquina com a Rua de Santa Maria.

Centro Histórico

Rua de Santa Maria, Guimarães - Portugal
Rua de Santa Maria, Guimarães. Foto: Maria Eugênia.

Após o almoço fomos conhecer o Centro Histórico de Guimarães, começando pela Rua de Santa Maria. O Centro Histórico foi classificado pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade. É muito bem preservado e tem edifícios dos tempos medievais. Andar pela região e observar as edificações é encantador e nos transporta para um tempo passado.

Rua de Santa Maria
A medieval Rua de Santa Maria, no centro histórico da cidade, é uma das mais antigas de Guimarães. Ela era a via de comunicação entre a Vila do Castelo, situado na parte alta e a Vila do Mosteiro, situado na parte baixa.

A rua foi durante séculos habitada por pessoas da elite, como clérigos e nobres. Como todas as ruas medievais, terá sito uma rua escura, atravancada e suja, onde os avisos de “água vai” seriam uma constante. 🙂 Hoje é uma das ruas mais bonitas e típicas do centro histórico da cidade. fonte: Guia da Cidade de Guimarães.

Praça São Tiago ou Praça de Santiago
Descendo a Rua de Santa Maria e virando à direita, vai dar na Praça São Tiago. É um largo rodeado de casa medievais, parece um cenário de filme de época. Segundo a tradição, uma imagem de Santa Maria foi trazida pelo apóstolo São Tiago e colocada nesse largo e é por esse motivo que o largo possui o nome de São Tiago.

Praça São Tiago, Guimarães - Portugal.
Praça São Tiago, Guimarães – Portugal.

A praça é um lugar lindo, com diversos estabelecimentos comerciais, com mesas na calçada, elegantemente arrumadas com taças para a degustação de vinho e tal, mas não arrisquei comer aí não, nem pesquisei os preços. Os portugueses ganham em euros, mas para nós, a taxa de conversão estava em 3,85 pra 1, melhorar não né…

Edifício dos Arcos, visto pela Praça São Tiago, em Guimarães - Portugal.
Edifício dos Arcos, visto pela Praça São Tiago, em Guimarães.

Largo da Oliveira e o Padrão do Salado
Atravessando por sob os arcos saímos da Praça São Tiago para o Largo da Oliveira. Esse edifício dos arcos é o antigo Paço do Concelho. Era nesse edifício que havia as reuniões das pessoas que governavam a cidade. A construção do edifício foi iniciada no século XIV, prolongando-se até meados do século XV, sendo objeto de várias reformas mais tarde. No alto da fachada há a estátua de um guerreiro que simboliza a contribuição dos vimaranenses nas conquistas da África.

Edifício do antigo Paço do Conselho, visto pelo Largo da Oliveira, em Guimarães, Portugal.
Antigo Paço do Conselho, visto pelo Largo da Oliveira, em Guimarães. Foto: Maria Eugênia.

É no Largo da Oliveira que se encontra a Igreja da Oliveira e o Padrão do Salado, além da Domus Municipalis que é o edifício dos arcos que foi sede do Concelho.

O Largo tem uma história curiosa. Diz a lenda, que havia uma oliveira plantada em frente à Igreja de Santa Maria de Guimarães e que essa árvore secou (não sei quando a oliveira secou). Em 1342 a árvore volta a dar folhas e frutos depois que Pedro Esteves (um comerciante vimaranense radicado em Lisboa) manda colocar no espaço uma cruz normanda. A notícia se espalha como sendo um milagre de Santa Maria e a partir daí o largo passa a se chamar Largo da Oliveira. A Oliveira permanece na praça até 1870, quando é removida contra a vontade popular. Só em 1985, cem anos mais tarde é que novamente é coloca uma oliveira no largo no local onde supostamente estaria inicialmente.

Largo da Oliveira, o Padrão Salado e a Oliveira – Guimarães, Portugal.
Largo da Oliveira, o Padrão Salado e a Oliveira – Guimarães. Foto: Maria Eugênia.

Quando você passar pelo Largo da Oliveira, observe as casas de seu entorno, o agito de seus bares e restaurantes, a Igreja da Oliveira, o Padrão do Salado, mas observe também a árvore, a Oliveira, que é a responsável pelo nome do Largo. Gostei muito dessa história. <3

O Padrão Salado
O Padrão Salado, em estilo gótigo, foi erguido no século XIV, por iniciativa de Afonso IV, Rei de Portugal, para comemorar a vitória contra os mouros na Batalha do Salado. Todo monumento está ligado a algum acontecimento histórico e sem o conhecimento da história, ele é só mais um monumento que pode ser belo ou não.

A Igreja da Oliveira e o Padrão Salado em Guimarães, Portugal.
A Igreja da Oliveira e o Padrão Salado em Guimarães.

Um pouquinho da história e das fofocas
A Batalha do Salado aconteceu em 1340 entre cristãos e mouros na província de Cádis no sul da Espanha. Abul-Hassan, rei de Fez e de Marrocos decidira reconquistar as terras de domínio cristão, as forças muçulmanas já haviam entrado em Castela. O rei de Castela era Afonso XI, casado com a princesa D. Maria de Portugal, filha de D. Afonso IV de Portugal. Vocês lembram da história de Pedro e Inês de Castro? Pois é, D. Afonso IV (da Batalha do Salado) é pai de Pedro I, aquele que mandou assassinar Inês de Castro.

Igreja N. Sra da Oliveira, Guimarães - Portugal.
Igreja N. Sra da Oliveira, Guimarães. Foto: Maria Eugênia.

Continuando com a história e as fofocas da época, o Afonso XI de Castela era genro de Afonso IV de Portugal. Vendo que a situação estava preta, Afonso XI de Castela pediu à sua esposa, que solicitasse a seu pai, ajuda na batalha contra os mouros. D. Maria, apesar das aprontadas do marido com Leonor de Gusmão, atendeu ao pedido e solicitou ajuda a seu pai, Rei de Portugal. O pai (D. Afonso IV) que não andava feliz com as aprontadas do genro, para humilhá-lo, respondeu ao pedido da filha dizendo que se o Rei de Castela precisava de socorro, que o pedisse diretamente. Afonso XI de Castela, não tendo muita saída, fez o pedido ao Rei de Portugal que entrou na batalha pra ajudar Castela a se livrar dos mouros. A batalha foi vencida. O Padrão Salado foi erguido em comemoração a isso. Fonte: Wikipédia 

Igreja de Nossa Senhora da Oliveira
A Igreja de Nossa Senhora da Oliveira é do tempo da Condessa Mumadona Dias. Durante a Idade Média a Igreja se transforma num popular centro religioso da Península Ibérica, devido a sua popularidade entre os peregrinos que iam para Santiago de Compostela (Espanha). A Igreja de Nossa Senhora da Oliveira é um dos monumentos vimaranenses de maior relevo histórico.

Interior da Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, Guimarães - Portugal.
Interior da Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, Guimarães. Foto: Maria Eugênia.

Venerável Ordem de São Francisco
A Igreja de São Francisco, ou Venerável Ordem de São Francisco, é uma das Igrejas que quem visita Guimarães deve conhecer. O templo impressiona pela beleza, pelo detalhes de seu interior e pela riqueza, muito dourado, muito ouro! Aliás, uma coisa que observei nas Igrejas em Portugal, é que as Igrejas em homenagem a São Francisco ou em outras igrejas o altar de São Francisco é o mais rico, o mais dourado o que não deixa de ser incongruente. Não sei se São Francisco está feliz com tanta riqueza, tanto luxo e tanto ouro em sua homenagem…

Igreja de São Francisco em Guimarães - Portugal.
Igreja de São Francisco em Guimarães. Foto: Maria Eugênia.
Túmulo de D. Constança de Noronha, 1ª Duquesa de Bragança. Guimarães, Portugal
Túmulo de D. Constança de Noronha Foto: Maria Eugênia.

A Igreja fazia parte do Convento de São Francisco e nasceu junto da muralha medieval. D. Dinis, em 1325, ordenou sua destruição. A reedificação da Igreja, no local onde hoje ela se encontra, começou no ano de 1.400, com autorização de D. João I.

Observem que havia uma estreita ligação entre o clero e o poder em Portugal. Foi o Rei D. João I, o Mestre de Avis, que vencendo a Batalha de Aljubarrota determinou a construção do belíssimo Mosteiro da Batalha.

D. Constança de Noronha, a 1ª Duquesa de Bragança, encontra-se sepultada na Igreja de São Francisco em Guimarães.

Igreja de Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos
Também conhecida como Igreja de São Gualter por ser o centro das celebrações das Festas Gualterianas, a Igreja de N. Sra da Consolação se destaca por sua arquitetura e localização, ali no final do Jardim do Largo da República do Brasil.

Igreja de São Gualter, ou Igreja de N. Sra da Consolação e Santos Passos, Guimarães - Portugal.
Igreja de São Gualter, Guimarães. Foto: Maria Eugênia.

Altar da Igreja de São Gualter, em Guimarães, Portugal.
Altar da Igreja de São Gualter, em Guimarães.


Santuário da Penha e teleférico

Seguindo pelo lado esquerdo da Igreja de São Gualter, caminhando mais um pouco chega-se no ponto base de onde parte o teleférico para o Santuário da Penha.

Santuário da Penha em Guimarães, Portugal.
Santuário da Penha em Guimarães. Foto: Maria Eugênia.
Santuário da Penha visto por outro ângulo, em Guimarães - Portugal.
Santuário da Penha visto por outro ângulo, Guimarães.

Existe duas formas de ir ao Santuário que fica em uma colina chamada de Montanha da Penha. Dá par ir de teleférico ou dá para ir de carro, para quem estiver viajando de automóvel. Embora estivéssemos de carro, optamos por ir de teleférico o que eu achei que não foi uma boa escolha. Estávamos já no final da tarde quanto chegamos no teleférico. Não pesquisei o transporte público.

O teleférico faz o percurso de 1.700 m montanha acima em aproximadamente 10 minutos. O problema de subir a Montanha da Penha de teleférico, ao invés de automóvel, é ficar atendo aos horários, porque perder o último horário e ficar lá em cima da Montanha ninguém merece… Isso aconteceu conosco no Chile, quando subimos o Cerro San Cristóbal, tivemos de descer a pé 🙁

Os jardins no Santuário da Penha. Guimarães - Portugal.
Os jardins no Santuário da Penha. Guimarães – Portugal.

Com medo de perdermos o último retorno, não me aventurei em conhecer locais mais distantes da estação do teleférico, o que foi uma pena. Penso que teríamos aproveitado mais se tivéssemos ido com nosso carro.

Montanha da Penha em Guimarães - Portugal.
Montanha da Penha em Guimarães.

Horário do Teleférico de Guimarães
Horário de Inverno (1 de Novembro até 31 de Março)
Fechado de segunda-feira a quinta-feira, abrindo apenas às sextas, sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 17h30.

Teleférico de Guimarães - Portugal.
Teleférico de Guimarães.

Horários de Verão (1 de abril a 31 de outubro)
Meses de Abril, Maio e Outubro: aberto às 10 horas e encerramento às 18h30
Meses de Junho, Julho:
Aberto ao público às 10 horas e encerramento às: Segunda a Sexta às 19h00 e Sábados, Domingos e Feriados às 20h00.
Mês de Agosto: aberto ao público às 10 horas e encerramento às 20h
Mês de Setembro: aberto ao público às 10 horas e encerramento às 19h

Informações complementares
– Partidas de 30 em 30 minutos;
– Fecha para manutenção na última segunda-feira de cada mês;
– Último embarque: 15 minutos antes do encerramento
– Fechado: No dia 25 Dezembro e Domingo de Páscoa.

Contactos
E-mail: geral@turipenha.pt
Web: www.turipenha.pt

Aqui Nasceu Portugal
A inscrição “Aqui Nasceu Portugal” está colocada na Torre da Alfândega, que fica no início do Largo do Toural. Andando a pé, vindo pela Alameda de São Dâmaso, não dá para perceber que aquela parede de pedras, sufocada entre dois edifícios, é a famosa torre da antiga muralha, a não ser que olhemos para cima e como ninguém anda olhando para cima, nós passamos pela torre e só a encontramos depois de perguntar onde ela ficava. Estava logo ali, atrás de nós rsss… A torre faz parte da antiga muralha de Guimarães.

Torre da Alfândega - Aqui Nasceu Portugal - em Guimarães.
Torre da Alfândega – Aqui Nasceu Portugal – em Guimarães. Foto: Maria Eugênia
Final de tarde no Largo Toural em Guimarães.
Final de tarde no Largo Toural em Guimarães. Foto: Maria Eugênia

Comemos porque merecemos
Final de tarde, final de passeio resolvemos fazer um lanche antes de voltarmos para Braga. Encontramos um lugar lotado de gente no Jardim do Largo da República do Brasil. Olhamos gostamos e ficamos 🙂

Supremo Gosto Coisas Doces, Guimarães Portugal.
Supremo Gosto Coisas Doces, Guimarães.
Supremo Gosto Coisas Doces, Guimarães - Portugal.
Nosso lanchinho no Supremo Gosto em Guimaraes.

#Dica do Conheci e Curti
– Se for de carro, o estacionamento Mumadona é muito bem localizado.
– Use o Foursquare para achar locais onde comer. #DicaPreciosa.
– Estacionamentos são chamados de Parques (vem de Parque de Estacionamento).
– Não esqueça de levar a carteira de estudante internacional.
– Guimarães pode ser uma boa opção de hospedagem para quem quer conhecer a região.

Se você gostou de Guimarães também poderá gostar de Coimbra e o Mosteiro de Santa Clara a Velha.

Mapa da cidade de Guimarães
Mapa da cidade de Guimarães. Clique.

Os posts dessa viagem, ou por onde andamos 
Portugal, um país para conhecer, curtir e voltar…
Chegando em Lisboa
– A Vila de Óbidos, a prenda de casamento da Rainha Santa Isabel
Mosteiro de Alcobaça, Pedro e Inês de Castro
O Mosteiro da Batalha, Aljubarrota e a promessa de D. João de Avis
Coimbra
Coimbra e Mosteiro de Santa Clara-a-Velha
Coimbra em fotos
A Universidade de Coimbra
Braga, o Coração do Minho
Fotos do Santuário do Bom Jesus do Monte
Guimarães, Aqui Nasceu Portugal
A Quinta da Aveleda, o passeio e a degustação de vinhos
Guarda, a Serra da Estrela e as Aldeias Históricas de Portugal
A aldeia histórica de Trancoso e muitas emoções nesse dia
A aldeia de Marialva e o Museu do Côa
A aldeia de Castelo Rodrigo e a bronca das meninas
A aldeia de Sortelha em Portugal
A aldeia de Monsanto e a Casa da Tia Piedade
e muito mais…
Foto de capa: Maria Eugênia

Este post reflete a visão de uma turista brasileira que fez um bate-volta para a cidade de Guimarães. A cidade tem mais atrações do que o que escrevi no post.

Procurando hotel para sua próxima viagem?

Booking.com

Onde comemos
– Restaurante Mumadona
– Supremo Gosto Coisas Doces

Referências
Município de Guimarães
Guimarães, Guia da Cidade
Paço dos Duques
Guimarães Turismo
Montanha da Penha, Guimarães
Blog Go To Portugal
Casa Real Portuguesa
SIPA Patrimônio Arquitetônico
Wikipédia

Veja também

2 comentários sobre “Guimarães, Aqui Nasceu Portugal

    1. Obrigada. Fico feliz que vc tenha gostado. Eu adorei conhecer Portugal, foi uma experiência incrível para mim, talvez por encontrar em Portugal tantos pequenos detalhes que lembram o Brasil mostrando bem nossa origem portuguesa.

Deixe uma resposta