Coimbra e o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

Resolvemos dedicar o dia todo para Coimbra e visitar o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, o próximo destino podia esperar.

Era o dia da partida para a cidade do Porto, mas não dava para deixar Coimbra sem conhecer a Igreja de Santa Cruz e o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha. Como nosso roteiro só a nós pertencia, resolvemos ficar o dia todo em Coimbra e  seguir direto para Braga, onde tínhamos reservado o próximo hotel. Estávamos com uma certa folga na região de Braga e daria para fazer um bate-volta para Porto de lá. E assim fizemos.

Após o café da manhã, fechamos a conta, deixamos as malas no guarda-volumes do hotel e fomos a pé conhecer a Igreja de Santa Cruz, onde estão os túmulos dos dois primeiros reis de Portugal, D. Afonso Henriques e D. Sancho I.

coimbra-igreja-santa-cruz
Igreja de Santa Cruz em Coimbra. Foto: Maria Eugênia. Clique para ampliar.

Seguimos pela Rua Ferreira Borges, uma via pedonal que liga o Largo da Portagem à Praça 8 de Maio (depois das escadarias de São Tiago, passa a se chamar Rua Visconde da Luz). Paramos na Porta de Barbacã para conhecer o local.

A Porta de Barbacã e a Torre de Almedina, faziam parte do sistema defensivo de Coimbra. Pertenciam à muralha da antiga cidade medieval. A Porta e Torre de Almedina, era a porta de Medina, entrada principal da cidade intramuros. Constituía o acesso de maior importância militar e civil.

Continuamos pela Ferreira Borges e um pouco mais adiante encontramos a escadaria de São Tiago, que fica ao lado da Igreja de São Tiago e dá acesso à Praça do Comércio. Descemos a escadaria para conhecer a  praça.

A Praça do Comércio é um largo, com várias lojas e locais de alimentação, tem de um lado a Igreja de São Domingos (ou Igreja de São Bartolomeu) e do outro a Igreja de São Tiago.

A Praça do Comércio, Coimbra - Portugal.
A Praça do Comércio em Coimbra.

A Igreja de São Tiago foi construída no final do século XII e início do século XIII. O templo foi solenemente sagrado em 1206, mas as obras continuaram após essa data. É um exemplo do estilo românico da cidade de Coimbra. Quando passamos, a Igreja estava fechada, só pudemos ver por fora.

igreja-sao-tiago
Igreja de São Tiago, Praça do Comércio, Coimbra. Foto: Maria Vitória

A Igreja de São Bartolomeu fica no outro extremo da Praça. A região da Praça do Comércio onde se encontra a Igreja de São Bartolomeu é um dos locais religiosos mais antigos de Coimbra. O primitivo templo de São Bartolomeu já existia em meados do século X. Com a Igreja ameaçada de ruir, em 1756 começou a construção de um novo templo, que é o que permanece até hoje.

No seu interior destacam-se os retábulos barrocos de talha dourada, sendo que o da capela-mor, do século XVIII, que tem uma tela alusiva ao Martírio de São Bartolomeu.

Igreja de São Bartolomeu, Coimbra, Portugal
Igreja de São Bartolomeu, Coimbra.

Voltamos para a Rua Ferreira Borges/Visconde da Luz e continuamos por ela até a Praça 8 de Maio, onde está a Igreja de Santa Cruz. A Igreja de Santa Cruz é aquela onde vimos as apresentações folclóricas. Chegando lá, adivinhem? Missa! Entramos na Igreja, silenciosamente para não atrapalhar a missa e vimos o que era possível. Fiquei admirando uns túmulos que tinham logo na estrada, achando que oh! vi onde está sepultado o primeiro Rei de Portugal, só que não, hahaha! Não era ali, era no altar e não dava para chegar ao altar durante a missa. 🙁

Eu queria ir embora, pois ainda tinha a esperança de chegar em Braga durante o dia, mas a Maria Vitória, historiadora, disse que não dava para sair de Coimbra sem ver onde está sepultado D. Afonso Henriques, o 1º rei de Portugal.
Ok, fui vencida pelos argumentos da história.

coimbra-igreja-de-santa-cruz
Igreja de Santa Cruz, Coimbra. Foto: Mª Eugênia

De mau humor, fiquei sentada na entrada da Igreja esperando a missa acabar, só que logo após a missa aconteceria um casamento. A chance de visitar o túmulo seria num curto intervalo entre missa e casamento.

As meninas conversaram com o sacristão e este disse a elas que após a missa poderíamos ir para o altar. Esperamos. A jovem historiadora estava certa, como ir para Portugal, estar em Coimbra na porta da Igreja de Santa Cruz e não visitar o seu interior e ver o mausoléu de D Afonso Henriques?

A Igreja é muito bonita com suas paredes decoradas com painéis de azulejos e tem um espetacular órgão barroco.

orgao-igreja-de-santa-cruz-coimbra
Órgão da Igreja de Santa Cruz, Coimbra – clique para ampliar.

A Igreja abriga os túmulos dos dois primeiros reis de Portugal, D. Afonso Henriques e D. Sancho I. Em 2003 foi reconhecida como Panteão Nacional pela Assembleia da República. Ela é parte do Mosteiro de Santa Cruz, fundado em 1131 no exterior das muralhas de Coimbra. O Mosteiro foi a mais importante casa monástica nos primeiros tempos da monarquia portuguesa. Acumulou um elevado patrimônio com os benefícios papais e as doações da coroa de Portugal.

Túmulo de D. Afonso Henriques, 1º rei de Portugal.
Túmulo de D. Afonso Henriques na Igreja de Santa Cruz, Coimbra. Foto: Maria Eugênia

Só visitamos a Igreja. A visita à Igreja e à  Capela Mor onde estão os túmulos reais é gratuita, aos demais espaços a visita é sujeita a donativo, mas o site oficial de Igreja de Santa Cruz  não informa o valor.

Retornando para o hotel, descemos as escadarias de São Tiago, passamos pela Praça do Comércio e seguimos pela Rua das Azeiteiras. Amo os nomes de ruas de Portugal.

Resolvemos dedicar o dia todo para Coimbra, Braga poderia esperar. Chegando no hotel, pegamos o carro no estacionamento, as nossas malas no guarda-volumes e fomos visitar o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, aquele que é uma ruína. Gente! Que coisa linda!

mosteiro-santa-clara-a-velhacoimbra
Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Coimbra. Foto: Maria Eugênia
Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Coimbra, Portugal.
Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Coimbra

Mosteiro de Santa Clara-a-Velha
No espaço, num edifício de construção moderna, há um museu, uma loja de souvenir, uma lanchonete/restaurante, o Mosteiro Medieval e o Paço da Rainha. O dia estava muito quente, eu sentia o sol “pegar” no meu braço, eu tenho alergia ao sol, eu que sempre curti muito o sol hoje preciso me esconder dele, mas se minha alergia ao sol não me impediu de ir ao Deserto do Atacama no Chile, não impediria um passeio pelo Paço da Rainha debaixo do sol das 15h. Protetor solar, óculos escuros, chapéu e manga longa resolve o problema.

Foi aqui, no Paço da Rainha, que em 1355 Inês de Castro foi assassinada por ordem de D. Afonso IV, pai de Pedro I o amor da vida de Inês.

Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Paço da Rainha. Coimbra, Portugal.
Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Paço da Rainha. Coimbra, Portugal. Foto: Maria Eugênia

O Mosteiro de Santa Clara é da ordem das irmãs Clarissas. A ordem foi fundada em Assis na Itália, em março de 1212, por Santa Clara e São Francisco de Assis com o nome de Ordem das Irmãs Pobres, em 1263 passou a se chamar Ordem de Santa Clara ou Pobres Clarissas.

Em Coimbra, a ordem das Clarissas começou com D. Mor Dias, quando em 1283 é concedida a carta de licença para que D. Mor Dias construa uma casa e igreja em honra de Jesus Cristo, Santa Maria, Santa Isabel e Santa Clara, nas suas propriedades do outro lado da ponte de Coimbra.

Santa Clara-a-Velha, interior da Igreja. Coimbra.
Santa Clara-a-Velha, interior da Igreja. Coimbra.

Em 1292, o mestre João, cônego do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, anuncia a excomunhão de D. Mor Dias e avisa aos presentes que devem evitar a dita dona e abster-se de ouvir missa no mosteiro por ela fundado. Esse texto encontra-se no museu do Mosteiro.

Determinada a manter as Irmãs Clarissas em Coimbra, a Rainha Santa Isabel recebe da cúria papal, em 1314, licença para refundar o Mosteiro de Santa Clara, cuja construção acompanha de perto. Graças a doações de bens, a Rainha Isabel assegura o futuro sustento do mosteiro, o qual terá, a pedido dela, um mínimo de 50 religiosas.

santa-clara-a-velha-coimbra-ruinas-igreja
Capela Sepucral da Rainha Santa Isabel, Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Coimbra.

A Rainha Isabel morre em 4 de julho de 1336. Os milagres que lhe são atribuídos e a presença de seu corpo na capela sepulcral do mosteiro originam forte devoção e atração de peregrinos.

Observe na foto, a capela sepucral da Rainha, no andar superior da ruínas da Igeja.

O culto em torno da Rainha é promovido pelos Franciscanos, com o apoio da Coroa Portuguesa e do clero em geral, sendo oficialmente reconhecido pela Santa Sé. A beatificação da Rainha, pedida por D. Manuel I, ocorre em 1516 e a canonização acontece em 1742.

Quando, em 1677, as Clarissas se transferiram para o mosteiro novo, esse passou a ser chamado de Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e entrou em processo de abandono e deterioração. A Igreja, por sua solidez aguentou as cheias do Rio Mondego, mas após a extinção das ordens religiosas no século XIX, foi adquirida por particulares e utilizada para os mais diversos fins como habitação, celeiro e curral.

Em 1910 foi atribuída à Igreja do velho Mosteiro de Santa Clara a classificação de Monumento Nacional e a partir disso passou a ser protegida e a receber intervenções de restauro. A partir de 1991 iniciou-se um ambicioso trabalho de recuperação do Mosteiro, com o resgate da parte inferior da Igreja e das ruínas do claustro que ficou durante anos coberto com a areia trazida pelas enchentes do Mondego. Em 2009 foi reaberto ao público.

santa-clara-a-velha-coimbra-ruinas-claustro
Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Coimbra. Ruínas do Claustro.
santa-clara-a-velha-coimbra-ruinas-claustro-01
Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, ruínas do Claustro. Coimbra. Foto: Maria Eugênia

Horário de funcionamento
De maio a setembro:  das 10h às 19h (última entrada 18h15)
De outubro a abril:  das 10h às 17h (última entrada 16h30)

A Rainha Santa Isabel é a padroeira da cidade de Coimbra.

A Rainha Santa Isabel
Isabel de Aragão nasceu em Saragoça (Espanha) em 4 de janeiro de 1271 e faleceu em Estremoz (Portugal) a 4 de julho de 1336, aos 66 anos. Filha do Rei Pedro II de Aragão e de Constança de Hohenstaufen, princesa da Sicília, Isabel tinha 12 anos quando casou por procuração com D. Dinis em 11 de fevereiro de 1282, tendo celebrado as bodas ao passar a fronteira da Beira, na Vila de Trancoso em junho do mesmo ano. O Rei, então, acrescentou Trancoso ao dote da rainha menina além das vilas como Abrantes, Óbidos, Alenquer, Porto de Mós e vários castelos. (casou com 12 anos, que dó da menina, uma criança!)

isabel-de-aragao-rainha
Rainha Santa Isabel – clique para ampliar.

Isabel teve dois filhos, Constança que casou com o Rei Fernando IV de Castela e D. Afonso IV, sucessor de D. Dinis ao trono de Portugal e pai de Pedro I da famosa história de Pedro e Inês de Castro.

Isabel era uma rainha muito piedosa, passando grande parte do seu tempo em oração e ajudando os pobres. Por isso, ainda em vida, começou a gozar da reputação de santa e a fama aumentou após a sua morte. Vários milagres lhe foram atribuídos, como a cura de sua dama de companhia e de diversos leprosos, porém o mais conhecido é o Milagre das Rosas.

O Milagre das Rosas
Segundo a lenda portuguesa, numa manhã de inverno, a Rainha saiu do Castelo do Sabugal  para distribuir pães aos necessitados. Surpreendida pelo rei D. Dinis, que lhe perguntou onde estava indo e o que levava em seu manto, a rainha teria respondido: São rosas, Senhor! Desconfiado, D. Dinis disse: Rosas, em janeiro? D. Isabel então abriu o manto e nele havia rosas, ao invés dos pães que ocultara.

D. Dinis morreu em 1325 e pouco depois da sua morte, Isabel fez uma peregrinação, montada em um burro, até Santigo de Compostela (Espanha) e a última etapa da peregrinação fez a pé. Em Compostela ofertou muitos dos seus bens pessoais.

Após a morte de D. Dinis, recolheu-se no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha em Coimbra, vestindo o hábito da Ordem das Clarissas mas não fazendo votos (o que lhe permitia manter a sua fortuna usada para a caridade). Só voltaria a sair do Mosteiro, em 1336, pouco antes de sua morte, para ir a Estremoz, pois havia sido informada que seu filho D. Afonso IV iria bater-se em guerra com D Afonso XI de Castela, neto da Rainha Isabel, filho de Constança. Em Estremoz ela falece e seu corpo é transladado para Coimbra e o túmulo é depositado na capela do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha. Fonte: Wikipédia.

Se você gostou de Coimbra, veja mais fotos aqui: Coimbra em Fotos.

Local onde ficava a urna com o corpo da Rainha Santa Isabel no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Coimbra. Foto: Mary
Local onde ficava a urna com o corpo da Rainha Santa Isabel no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Coimbra. Foto: Mª Eugênia

#Dicas do Conheci e Curti
=> Planeje dois dias completos para Coimbra. Só na Universidade vai quase um dia inteiro.
=> Um dia é muito pouco para Conhecer e Curtir a cidade.
=> Coimbra tem muita coisa para conhecer, mas se o tempo na cidade for limitado, recomendo que conheça a Universidade, o Centro Histórico de Coimbra, a Igreja de Santa Cruz onde está o túmulo de D. Afonso Henriques e o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha.

Os posts dessa viagem, ou por onde andamos 
Portugal, um país para conhecer, curtir e voltar…
Chegando em Lisboa
– A Vila de Óbidos, a prenda de casamento da Rainha Santa Isabel
Mosteiro de Alcobaça, Pedro e Inês de Castro
O Mosteiro da Batalha, Aljubarrota e a promessa de D. João de Avis
Coimbra
Coimbra e Mosteiro de Santa Clara-a-Velha
Coimbra em fotos
A Universidade de Coimbra
Braga, o Coração do Minho
Fotos do Santuário do Bom Jesus do Monte
Guimarães, Aqui Nasceu Portugal
A Quinta da Aveleda, o passeio e a degustação de vinhos
Guarda, a Serra da Estrela e as Aldeias Históricas de Portugal
A aldeia histórica de Trancoso e muitas emoções nesse dia
A aldeia de Marialva e o Museu do Côa
A aldeia de Castelo Rodrigo e a bronca das meninas
A aldeia de Sortelha em Portugal
A aldeia de Monsanto e a Casa da Tia Piedade
e muito mais…
Foto de capa: Maria Eugênia

Booking.com

Referências
Igreja de Santa Cruz de Coimbra
Patrimônio Cultural
Confraria da Rainha Santa Isabel
Casa Real Portuguesa
Mosteiro de Santa Clara-a-Velha facebook
Wikipédia

Veja também

23 comentários sobre “Coimbra e o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

    1. Oi Isabela, Coimbra é muio linda e tem muita história para conhecer. Se você for, fique pelo menos dois dias na cidade, tem muita coisa para ver e um dia é pouco para Coimbra 🙂
      Abs

  1. Coimbra é uma cidade incrível, seu post está super detalhado e é de grande utilidade para todos turistas que estão planejando uma viagem para lá. Parabéns pelo lindo relato.

  2. Coimbra é uma cidade que ficou de fora da minha passagem por Portugal… E até hoje me arrependo. =(
    As igrejas são lindas!!

    1. Oi Guilherme, pena que vc não foi para Coimbra. 🙁 Para quem gosta do turismo e história, Coimbra é imperdível! Só pra te deixar mais arrependido, é em Coimbra, ao lado do altar da Igreja de Santa Cruz, que se encontra sepultado D. Afonso Henriques o 1º Rei de Portugal 🙂

    1. Pois é Diego, quando for para Portugal coloque Coimbra no pacote. Alguns ficam restritos à região de Lisboa e Porto. De trem, Coimbra fica a 1 hora de Porto. Dá pra fazer um bate-volta. Um dia é pouco para a cidade, mas é melhor do que não conhecer né?

    1. Rozembergue, Portugal é um dos destinos mais baratos da Europa. Para nós que viajamos com orçamento controlado isso foi um diferencial importante na escolha do destino. Além de linda, é uma viagem que cabe no bolso 🙂

    1. Jannayna gostei muito mais de Portugal do que eu imaginei que iria gostar! Amei aquela terra 🙂 Quando você for, vá para mais cidades, além de Lisboa e Porto. Nós conhecemos Coimbra, Braga, Guimarães e outras que ainda não deu tempo de colocar no blog.

    1. Oi angiesantanna, Portugal é incrível e para nós brasileiros é mais incrível ainda! Vemos nossa identidade lá! Identificamos as nossas ruas, principalmente as das cidades do interior ainda revestidas com paralelepípedos, vemos o calçamento em petit pavé nas praças, nas calçadas para pedestres, em tudo quanto é canto! Vemos decoração de ambiente com pratos pendurados nas paredes, é incrível demais!

  3. Muito lindo, como Portugal tem lugares lindos, né. Estou com muito vontade de fazer uma viagem para lá

    1. Oi, se for para Coimbra, além de desses lugares legais que descrevi, se vc gosta de história, vá conhecer o Museu Machado de Castro. Sob Coimbra havia uma outra cidade a Aeminium, da qual restam ainda alguns vestígios. A entrada para as galerias romanas de Aeminium é pelo interior do Museu Machado de Castro. Só descobri isso depois que voltei para o Brasil 🙁 🙁

    1. Sim, Itamar, Coimbra não pode ficar de fora e reserve pelo menos dois dias pra cidade, porque um só não vai dar rsss. Só na Universidade vai quase um dia inteiro. 🙂

  4. Meu irmao morou em Coimbra e pude aproveitar e conhecer a região! Amei tudo por ai! à época, pegamos a festa das fitas! sensacional!

Deixe uma resposta