Roteiro no norte da Alemanha e países vizinhos

Não muito divulgado entre nós brasileiros, o norte da Alemanha tem cidades lindas para serem exploradas e muita história para contar, além de ser fácil “dar um pulo” e conhecer os países vizinhos.

Fui para o norte da Alemanha em dezembro para visitar minha filha que faz seu mestrado na University of the Arts, HFK em Bremen. Conheci a região no inverno, época de dias frios, chuvosos, intercalados com poucos dias de sol e com chuva congelada. Tive também dias com direito à neve. É nessa época, que as cidades alemãs se enfeitam com suas famosas Feiras de Natal.

Feira de Natal de Bremen, Alemanha.
Feira de Natal de Bremen, Alemanha.

Como minha filha reside em Bremen, fiz dessa cidade a minha “estação base” e aproveitamos para conhecer outras cidades da região. Ao montarmos o roteiro, aproveitamos a oportunidade de estarmos no norte da Alemanha para darmos uma esticada até Copenhague na Dinamarca e Malmö na Suécia. Foram 21 dias de viagem mas 19 dias “aproveitáveis”, porque os dias de deslocamento Brasil-Europa não conto como aproveitáveis, uma vez que fico 24 horas ou mais em aeroportos e conexões. 🙁

Nosso roteiro incluiu as cidades de Bremen, Hamburgo e Lübeck na Alemanha, Malmö na Suécia e Copenhague a capital da Dinamarca. Viajamos entre as cidades de trem ou de ônibus, dependendo do que era mais mais interessante na relação disponibilidade de horário e preço. Viajamos de trem com a Deutsche Bahn e de ônibus com a Flixbus, compramos as passagens pela internet.


Viagem espaço mais.
Como desta vez fui só, me dei ao luxo de comprar um espaço+ no trecho mais logo da viagem aérea, super conforto se comparado com as outras poltronas da classe turística, onde sempre viajo. O espaço+ são aquelas poltronas que ficam normalmente nas saídas de emergência, ou atrás da cozinha e dos banheiros e que tem um espaço maior. Logicamente a companhia aérea cobra por isso. 😉

Espaço+ no avião
Espaço+ no avião
O Roteiro

Pegamos um trem de Bremen até Hamburgo, depois outro de Hamburgo até Copenhague e um terceiro de Copenhague até Malmö. O dia todo viajando, mas para quem está turistando, viajar de trem é mais interessante do que de avião.

Olhando a neve pela janela do trem - Alemanha.
Olhando a neve pela janela do trem – Alemanha.
Olhando as cidades pela janela do trem - Alemanha.
Olhando as cidades pela janela do trem – Alemanha.

Malmö na Suécia, é muito próxima de Copenhague, é uma viagem de 40 minutos de trem entre elas. Muita gente escolhe ficar em Copenhague e fazer um bate-volta até Malmö. Nós optamos por chegar em Malmö fazer o pernoite lá e depois seguirmos para Copenhague porque a hospedagem em Copenhague é mais cara do que em Malmö. Depois de nossa estadia em Copenhague, pegamos o ônibus da  Flixbus até Lübeck, cidadezinha do norte da Alemanha que é tombada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade e no dia seguinte, novamente de ônibus, seguimos para nossa casa em Bremen.

E o dinheiro?

A Alemanha está na zona do euro, mas a Dinamarca e a Suécia não. A moeda da Dinamarca é a Coroa Dinamarquesa e a Moeda da Suécia a Coroa Sueca.  Ainda na Alemanha, fizemos o câmbio de euros por Coroas Dinamarquesas e as Coroas Suecas compramos na própria Suécia. Quando viajamos, o euro valia em torno de 7,45 DKK (Coroas Dinamarquesa) e 10 SEK (Coroas Sueca).  Se você quiser saber o valor atual das Coroas Sueca e Dinamarquesa em relação ao Euro, o site Cuex – Conversor de Moeda ajuda bastante. Ele faz a conversão entre várias moedas.

Clima, temperatura e como se vestir

Nada de vestir-se em camadas como recomendam no Brasil, porque fora é muito frio e dentro dos locais, sejam museus, cafeterias, ou restaurantes é climatizado. Se vestir-se em camadas vai passar calor nos ambientes internos.  O melhor é usar roupa de inverno que se usa no sul do Brasil, uma bota de sola grossa com meia de lã, cachecol, luvas, gorro e um bom casaco comprado lá.

No interior do museu em Copenhague, Dinamarca.
No interior do museu em Copenhague, Dinamarca.
Arrumando a mala, o que levar na bagagem

Em dezembro, o norte da Europa é bem frio, chegamos a pegar temperatura com sensação térmica de -9º.  Como hoje temos a limitação de 23 kg por mala no transporte aéreo se não quisermos pagar excesso (eu não queria) e como não carrego mala pesada, eu precisava de uma mala tamanho médio, muito leve e eu não tinha. Pensei em comprar uma mala nova, mas era mais um trambolho para ficar em minha casa, além das de qualidade serem bem caras. Foi aí que pesquisando na internet sobre aluguel de malas em Curitiba e região, achei a Malas Express. Olhei o site, gostei das malas, entrei em contato com eles e aluguei.

Minha mala era novinha, de qualidade excelente. Aluguei uma Swisswin com zíper com sistema Safebag, foi o melhor negócio! Para quem estava fazendo viagem “padrão estudante”, de sobe em tram, desce do tram, pega trem, anda a pé da Estação Central até o hotel, pega ônibus e tal, uma mala leve, de qualidade, com 4 rodinhas foi uma ótima companheira de viagem. 🙂

Minha mala. Crédito: site Malas Express
Minha mala. Crédito: site Malas Express

Maria Eugênia, minha filha, me disse para eu levar um casaco do Brasil só para chegar, que lá compraríamos um casaco adequado para o clima deles. De fato, com o casaco comprado na Alemanha, foi bem tranquilo, só no dia do -9º é que foi mais complicado. Nesse dia fomos conhecer o Castelo de Kronborg (Dinamarca) sem olhar no mapa onde ele ficava. Ele fica 57 km ao norte de Copenhague, na beira do mar e tem um vento infernal! Da Estação Central até o Castelo de Kronborg a pé…. foi difícil!

O que levar
=>
Leve um casaco para chegar, um cachecol, um gorro de lã e um par de luvas para inverno.
=> Leve uma bota confortável ou tênis de sola grossa. Lembre que vc vai usar meias de lã, logo, o sapato não pode ser muito apertado. Se quiser, deixe para comprar as meias lá, tem aos montes e bem baratas.
=> Duas ou três blusas de lã ou de material térmico e blusas de manga longa de meia estação para os ambientes climatizados. Uma segunda pele é interessante levar.
=> Se quiser, leve uma calça segunda pele para usar por baixo da calça jeans, porque o jeans no inverno é frio. Eu levei e usei o tempo todo.
=> E o restante de seus objetos de uso pessoal e os remédios que normalmente utiliza.

Minha mala foi com 18 quilos. Para enfrentar o inverno europeu, achei bom!

Estão vendo um castelo lá no fundo da imagem? Pois é… esse é o Castelo de Kronborg. Fomos andando a pé nessa avenida, com sensação térmica de -9º e com um vento infernal até chegarmos no castelo.

O aeroporto de Frankfurt

Meu voo foi Curitiba-Bremen, mágico se existisse um voo direto mas não é assim. Peguei um voo Curitiba São Paulo, chegando em SP troquei de avião e peguei o voo internacional São Paulo Frankfurt, depois troquei de novo para um voo Frankfurt Bremen. Saí de minha casa em Curitiba dia 30 de novembro à tarde e cheguei na casa da minha filha no dia 01 de dezembro à noite.

Como fui sozinha, eu tive que me virar por mim mesma nas trocas de avião, migração, etc. Assustaram-me muito com o tamanho do aeroporto de Frankfurt, gigante, foi o que me disseram. Eu já estava meio apavorada com a barreira da língua e a história de pegar o trenzinho elevado, o Sky Line para o deslocamento entre os terminais.

O Sky Line do Aeroporto de Frankfurt.
O Sky Line do Aeroporto de Frankfurt. Fonte: Site Oficial do aeroporto.

Quando descemos do avião da LATAM, segui o fluxo de passageiros e aí tinha que descobrir qual o trem que eu tinha que pegar e onde descer do tal trenzinho, isso dependia do portão de embarque do próximo voo. Perguntei para uma moça da companhia que estava orientando os passageiros recém-chegados e ela me disse para eu olhar no painel (e apontou onde estava o painel) que lá eu encontraria o meu voo e saberia qual o portão para pegar o trem correto. Só que… minha conexão era de 4 horas, então meu voo não estava no tal painel.

Mapa do Aeroporto de Frankfurt. Fonte: Site oficial do aeroporto. Clique no mapa para ampliar.

Voltei falar com a funcionária da companhia, então ela consultou seu equipamento e me disse qual o portão. Beleza, aí era só pegar o trem certo. Certo? Mais ou menos, perdi o fluxo dos passageiros e não sabia para onde ir. Conheci no avião uma Sra Argentina, que estava tão perdida quanto eu, mas ela tinha uma vantagem, era fluente em alemão, então as duas perdidas foram juntas.  Logo depois, se junta a nós uma jovem brasileira, gaúcha, que estava morando na Europa, conhecia bem o aeroporto e ia pegar o mesmo trem que nós duas. Ela viu nossa dificuldade, se agregou ao grupo e nos ajudou. Depois de descer do trem, a gente ainda anda, anda e anda dentro daquele aeroporto. Dei graças à Deus por ter uma conexão de 4 horas em Frankfurt.

Esquema dos terminais do Aeroporto de Frankfurt.
Esquema dos terminais do Aeroporto de Frankfurt. Fonte: Site Oficial do aeroporto.
Como comprar as passagens de trem e ônibus

A parte do transporte terrestre foi bem simples para mim, minha filha fez tudo 🙂 mas para quem não tem essa facilidade, aqui vão as dicas:

Se você não alugou um carro e vai usar o transporte coletivo, o deslocamento entre as cidades pode ser feito de trem ou de ônibus. Se optar pelo ônibus, a Flixbus cobre mais de 1700 destinos em 28 países e tem o site também em português. A compra das passagens nos dois modais de transporte, é feita pela internet sem problema.

As cidades que conhecemos nessa viagem
Na Alemanha: Bremen, Hamburgo, Lübeck
Na Suécia: Malmö
Na Dinamarca: Copenhague
O roteiro e dicas de viagem

Comprei as passagens aéreas pela LATAM,
Aluguei a mala na Malas Express,
Reservei os hotéis pelo booking (não usei Airbnb),
Fiz o seguro de viagem com Mondial.
Compramos as passagens de trem com a Deutsche Bahn e as de ônibus com a Flixbus.

A Flixbus é uma empresa de ônibus que atua em grande parte da Europa. São 1700 destinos em 28 países. Uma vantagem é que eles tem o site também em português, o que facilita para nós. Eu não a conhecia, mas minha filha sempre viaja com eles na Alemanha. Experimentei e gostei.

Para planejar sua viagem

Booking.com - Hotel, hostel ou apartamento? O booking.com é fácil de reservar e fácil de cancelar. Aproveite os descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis. Observe as regras de cancelamento de cada hospedagem.

Airbnb - Se viajar mais como local do que como turista é o seu estilo, no Airbnb você encontra casas, apartamentos e até quartos na casa de alguém.

Flixbus - Transporte público para viajar entre cidades. A Flixbus é uma empresa de ônibus que atua em grande parte da Europa. São 1700 destinos em 28 países.

Aluguel de carro - Está pensando em alugar um carro? Faça cotação com a  Rentcars, pagamento em reais, sem IOF nas reservas internacionais, feitas no Brasil.

Seguro viagem, nunca viaje sem ele.

Seguros Promo
Na Promo, você escolhe a seguradora entre as mais famosas do mercado.

Mondial Seguro Viagem
Com a Mondial o seu seguro é Allianz. Faça seguro e viaje tranquilo.

Se você gostou, clique no curtir abaixo. 😉

Veja também

Escreva seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.