João Pessoa-PB deixa gostinho de quero mais

Imperdível  é conhecer o Centro Cultural São Francisco e assistir o pôr do sol na praia do Jacaré.

No bate-volta para João Pessoa fomos sem tempo para curtir praias. João Pessoa fica a aproximadamente 2h30 de viagem de Natal, 190 km pela BR-101. A guia de nosso grupo queria que saíssemos às 7h30, mas a preguiça falou mais alto e o grupo optou por sair às 8h, se arrependimento matasse… No ônibus, sentei-me na poltrona ao lado da janela porque eu queria curtir tudo, observar tudo, essa era minha primeira viagem ao Nordeste e do Nordeste eu só conhecia aquilo que as TVs  querem mostrar…
Na beira da estrada, achei essa chaminé
Na beira da estrada, achei essa chaminé
BR 101 entre Natal-RN e João Pessoa-PB
BR 101 entre Natal-RN e João Pessoa-PB

Durante o percurso a guia contava coisas interessantes. Na Paraíba, a fiscalização nas estradas é sistemática, isso reduziu o índice de drogas no Estado. Todos os ônibus de turismo devem contratar um guia local para circular na Paraíba. O guia local é o que acompanha o grupo e conta os fatos históricos, as curiosidades e explica os monumentos da cidade. Quando fui para a  Europa em 2010, em excursão, o sistema era semelhante. Um guia do grupo e os guias locais nas cidades ou países que se visitava.

Angelo, nosso guia em João Pessoa, foi excelente. Com um grande conhecimento e uma paixão por sua profissão e pelo estado onde reside, ele nos deu uma aula de história. O primeiro local onde Angelo no levou foi na Praça João Pessoa, ou Praça dos Três Poderes. No trajeto do City Tour, nos contou que a Prefeitura de João Pessoa, instalou caixas acústicas em ruas do centro da cidade, onde se concentram os pontos de ônibus e no final do dia, quando as pessoas já cansadas, aguardam nas filas o ônibus para irem embora, elas tem música ambiente que ecoa na região. O guia nos perguntou “Sabem que música tocam?” Nosso grupo em coro respondeu: forró! Errado! É música clássica. Segundo o guia, a música clássica tocada na cidade reduz o stress das pessoas em seu retorno para casa.

Monumento em homenagem a João Pessoa.

A praça João Pessoa é popularmente conhecida como praça dos Três Poderes porque tem ao seu redor as sedes dos poderes Executivo (Palácio da Redenção), Legislativo (Assembleia Legislativa) e Judiciário (Tribunal de Justiça da Paraíba). No centro da praça encontra-se um monumento onde se destaca a estátua de João Pessoa.

Tribunal de Justiça
Sede do Tribunal de Justiça em João Pessoa, Paraíba.

A cidade foi fundada pelos portugueses em 1585, com o nome de Cidade Real de Nossa Senhora das Neves. Mais tarde, em 1588 teve seu nome mudado para Filipeia em homenagem ao rei Filipe que na época acumulava os tronos da Espanha e de Portugal. Quando os holandeses conquistaram a cidade, trocaram novamente o nome, que passou a ser Frederica em homenagem ao rei Frederico II da Holanda. Com a saída dos holandeses trocou de novo, agora para Parahyba do Norte e só veio a ser chamada de João Pessoa, em 1930 em homenagem ao político paraibano João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, assassinado em 1930, quando era governador da Paraíba e candidato a vice-presidente na chapa de Getúlio Vargas.

João Pessoa
Praça João Pessoa – créditos da foto: Angelo Guia de PB

Igreja Nossa Senhora do Carmo – A Igreja fica na Praça Don Adauto, conhecida como a praça do Bispo, é bem perto dá para ir a pé. A Igreja é no estilo barroco-romano e possui uma única torre. Construída por volta de 1592, para servir de convento, recebeu uma restauração em 1763. Atrás das portas fechadas que dá para ver na foto, tem o ossário.

João Pessoa

Visitamos muito rapidamente pois estava fechando. Ali entendi porque a guia queria que saíssemos mais cedo de Natal… Internamente a Igreja possui nas paredes laterias painéis de azulejos, alguns bem preservados. A Capela de Santa Tereza, que é a Igreja menor ao lado, não deu para conhecer.

Interior da Igreja Nossa Sra do Carmo de João Pessoa, Paraíba.
Interior da Igreja Nossa Sra do Carmo de João Pessoa, Paraíba.

O interior da Igreja Nossa Sra do Carmo é muito bonito. Os painéis de azulejos portugueses nas paredes laterais, lembram as igrejas de Portugal.

Interior da Igreja Nossa Sra do Carmo de João Pessoa, Paraíba.
Interior da Igreja Nossa Sra do Carmo de João Pessoa, Paraíba.

Centro Cultural São Francisco – A Igreja de São Francisco, fica muito próxima da Igreja do Carmo. Na minha opinião, é ponto de visita obrigatório em João Pessoa. A construção da Igreja começou em 1589 e só foi concluída em 1779, 190 depois. O conjunto arquitetônico do Centro Cultural é formado pela Igreja de São Francisco, o Claustro, o Adro e o Cruzeiro. É uma das obras mais representativas do barroco brasileiro do século XVIII.

Igreja de São Francisco em João Pessoa-PB, no Centro Cultural São Francisco
Igreja de São Francisco em João Pessoa-PB, no Centro Cultural São Francisco

A visita ao interior da Igreja é uma visita guiada, paga-se um pequeno valor de entrada (pequeno mesmo) e uma (um) guia nos leva aos vários ambientes da Igreja descrevendo detalhadamente cada um deles. A visita demora cerca de 1 hora. Estudantes e 60+ pagam meia entrada. Pela importância história e beleza do conjunto, escrevi um post específico sobre o Centro Cultural São Francisco. Clique aqui para acessá-lo.

Capela Dourada da Igreja de São Francisco
Capela Dourada da Igreja de São Francisco

João Pessoa é a terceira cidade mais antiga do Brasil, isso porque ela já foi fundada na condição de cidade, sem passar pela condição de vila ou povoado e segundo informação do nosso guia, é a 2ª cidade mais verde do mundo, perdendo somente para Paris-França. E por falar em França, existe na região metropolitana de João Pessoa uma cidade chamada Bayeux, nome exatamente igual ao da cidade francesa Bayeux da região da Baixa-Normandia, à qual foi prestada a homenagem do nome. É no município de Bayeux-PB que está localizado o Aeroporto Internacional de João Pessoa.

PB - João PessoaA cidade tem 25 km de calçadão beira-mar. Na praia de Cabo Branco, todos os dias, das 5 às 8 horas da manhã a pista da avenida Beira Mar é interditada para automóveis e é dedicada às pessoas que querem praticar caminhadas, andar de patins e bike. Há policiamento ao longo do trecho interditado para garantir a segurança e tem enfermeiros ao longo do trecho, achei isso muito legal!

Outro local para se visitar em João Pessoa é o Farol do Cabo Branco, donde avista-se a Ponta do Seixas, que é o ponto mais oriental da parte continental do Brasil. Como curiosidade, a distância da Ponta do Seixas até a África é praticamente a mesma distância da Ponta do Seixas até Porto Alegre no Rio Grande do Sul, algo em torno de 3.000 km medidos pelo Google 🙂

Ponta do Seixas

Apreciar o pôr do sol na praia do Jacaré, ao som do bolero de Ravel, tocado pelo Jurandy do Sax, foi o ponto alto de nossa visita à João Pessoa. A Praia do Jacaré é uma praia fluvial no Rio Paraíba e nesse trecho, o rio tem em torno de 600 m de largura. Existem alguns bares na beira do rio, de onde se pode (podia) assistir ao espetáculo. Quem quiser assistir dos bares deve chegar cedo para pegar um bom lugar, outra opção é assistir dos barcos.

Pôr do Sol na praia do Jacaré
Pôr do Sol na praia do Jacaré

São em torno de quatro catamarãs que saem com os turistas por esse trecho do rio. Alguns catamarãs apresentam show com dançarinos de forró vestidos a caráter. Quando as 17 horas se aproximam, os barcos interrompem sua apresentação musical e se dirigem à região dos bares, onde exatamente às 17 horas, Jurandy vestido totalmente de branco, em pé num pequeno barco que é remado por um senhor, toca o bolero de Ravel em seu saxofone enquanto o sol se põe no horizonte. Tem que segurar para não chorar… é emocionante! O pequeno barco passa em frente aos bares e depois passa entre os barcos dos turistas que num silêncio absoluto (quase todos…) disputam o melhor espaço para fazer uma foto ou um vídeo. Nós assistimos do barco, mas a apresentação é linda, vista do barco ou dos bares.

Praia do Jacaré - os catamarãs e os turistas.
Praia do Jacaré – os catamarãs e os turistas.

Em nosso barco havia um jovem casal muito sem noção, que ficou durante todo do espetáculo papagaiando com a filha que deveria ter uns cinco anos. Eles conseguiram estragar o vídeo de muita gente, inclusive um vídeo meu… A apresentação do bolero dura em torno de 15 minutos e termina quando o sol se põe.

Às 18 horas, já escuro, tem a apresentação da Ave Maria. Jurandy sai novamente no barquinho e se dirige a um pequeno palco montado sobre as águas do rio onde há uma imagem de Nossa Senhora e nesse palco ele toca a Ave Maria no seu sax.

O Parque do Jacaré, onde acontece o bolero de Ravel, fica no município de Cabedelo a aproximadamente 12 km de João Pessoa. Há uma feirinha de artesanato e produtos da região onde pode-se comprar de tudo e os turistas compram, compram e compram…

A história do bolero de Ravel no Rio Paraíba.
Conta a história que a moda do bolero de Ravel na praia do Jacaré aconteceu por acaso. Lá pelos idos de 1980, uma senhora proprietária de um bar na região, resolveu um certo dia colocar o disco do filme Retratos da Vida para tocar no seu bar, no momento que a música tocava o sol estava se pondo no horizonte. Seus clientes ficaram encantados e nos dias que se seguiram pediam que a música tocasse novamente ao pôr do sol. Esse bar fechou, mas Jurandy teve a ideia de continuar com a tradição e inovou tocando o bolero no sax, navegando em um barquinho.  jurandydosax.com.br

João Pessoa
Clique para ampliar

A bandeira da Paraíba e a palavra“NEGO”
A bandeira da Paraíba é carregada de simbologia. Nas cores preta e vermelha possui a inscrição da palavra NEGO (do verbo negar), antigamente era escrita com acento agudo. Nosso guia nos disse que o vermelho significa o sangue de João Pessoa, assassinado por seu desafeto político João Dantas e o preto significa o luto. A palavra NEGO lembra o fato político onde o governador João Pessoa NEGOU o apoio da Paraíba ao candidato Júlio Prestes, apoiando a candidatura do gaúcho Getúlio Vargas. A eleição de Getúlio pôs fim à política do Café com Leite.

Impressões, dicas e opiniões

  • A Paraíba surpreende! Não é muito divulgada aqui no Sul, é muito bonita, tem praias lindas e uma quantidade enorme de história.
  • O bolero de Ravel no sax do Jurandy é imperdível.
  • O turismo é bem estruturado na região.
  • Senti falta de um folheto descritivo da Igreja de São Francisco. O folheto poderia ser dado aos visitantes ao término da visita, ou ser vendido para aqueles que tivessem interesse maior na sua história.
  • O Angelo (nosso guia) nos falou que as festas juninas acontecem nas cidades do interior. Que o sistema de turismo receptivo de João Pessoa leva os turistas que estão hospedados na capital até as cidades onde se realizam as festas juninas.
  • Penso que uma viagem de uns sete dias é o ideal… um dia para curtir a parte histórica, outro dia para ir à festa junina (desde que em junho, é claro), dois ou três para curtir praia e um para um bate-volta até Olinda-PE (1h30 de viagem)
  • Para quem estiver turistando em Natal ou em Recife, recomendo colocar um bate-volta para João Pessoa no roteiro, tenho certeza que vão gostar 🙂

O que eu aprendi 

  • Que o nome Paraíba significa Rio Difícil de Navegar.
  • Que o ponto mais oriental da parte continental do Brasil fica na Paraíba, é a Ponta do Seixas.
  • Que a política do Café com Leite, alternava os presidentes do Brasil só entre os indicados por Minas e São Paulo. Os outros estados não podiam indicar.
  • Que João Pessoa (o político) teve uma forte influência no término da política do Café com Leite, com a eleição de Getúlio em 1930.
  • Que o que está escrito na bandeira da Paraíba é “NÉGO” do verbo negar. Eu nego, tu negas, ele nega….
  • Que o termo “sem eira nem beira” vem desse acabamento triplo no telhado. Antigamente as casas dos mais ricos tinham um telhado triplo: a eira, a beira e a tribeira como era chamada a parte mais alta do telhado. Os mais pobres não tinham condições de fazer este telhado, então construíam somente a tribeira ficando assim “sem eira nem beira”.
Telhado com eira, beira e tribeira
Telhado com eira, beira e tribeira

Outros posts dessa viagem
Natal é uma cidade linda!
– João Pessoa deixa gostinho de quero mais
Centro Cultural São Francisco, história beleza e arte
Fotos do Centro Cultural São Francisco
Natal viajando em fotos

Booking.com


Se você gostou de João Pessoa veja também o post sobre o Centro Cultural São Francisco.

Quer saber mais sobre essa época?
Leia Política do Café com Leite na Wikipédia – clique aqui.
Matéria da Globo para deixar o gostinho do quero mais – clique aqui

Veja também

Deixe uma resposta