Feira de Natal de Bremen

Uma viagem aos contos-de-fadas

Para quem já mora aqui no norte da Europa há mais de um ano sabe que o inverno é a época mais terrível que tem. Fica frio, anoitece cedo, fica muito frio, ninguém sai na rua, você quase morre de frio, não sai sol por nada no mundo, o rosto dói de tanto frio e o mundo fica em tons de cinza.

Mas no meio dessa depressão toda temos algo que sempre me alegra por um mês: as feiras de Natal. E numa cidade como Bremen, berço dos contos alemães, parece que você entrou direto num livro de contos de fadas.

É quando a Alemanha toda, na verdade a Europa toda mas a Alemanha é a terra do Natal, se enche de luz e cheiro de chocolate. Pra onde você vai tem gente, comida, glühwein (um quentão alemão) e casinhas fofas. Todo mundo parece criança quando vai nessas feiras, e tem coisas que você não pode perder! Vou falar aqui da de Bremen, cidade onde eu moro, mas pelas minhas viagens já aprendi que elas valem para (quase) todas. Então se tem planos de vir para cá na época do Natal, já anote essas dicas. 😉

Feira de Natal em Bremen

Feira de Natal em Bremen: parece de brinquedo


Glühwein – O melhor amigo de quem tá na rua no inverno

Sei que parece papo de bêbado colocar a bebida da feira de Natal como primeiro tópico e ainda chamar de melhor amigo mas nesse caso tem um bom motivo: O Glühwein além de ser a bebida típica da feira, quentinha e com cheiro de Natal, ainda serve de souvenir! Sim, aqui você paga um imposto temporário chamado “Pfand” que é literalmente o preço da embalagem, e é um valor que você pega de volta quando devolve a tal embalagem. Isso vale para várias coisas, bebidas no mercado, copos em bares e canecas de glühwein. Todo ano cada uma das barraquinhas faz uma caneca temática e você pode levar pra casa. Se não quiser, basta devolver e terá seus euros de volta.

Copo de Glühwein da feira de Natal de 2015 de Bremen

Copo de Glühwein da feira de Natal de 2015 de Bremen

Eu sempre pego pelo menos uma por ano. A dica é sair bebendo todos os glühweins da feira para achar a caneca mais bonita e finalmente levar pra casa.

Além de ser o souvenir mais prático da feira também te esquenta de um jeito que comida nenhuma vai fazer. É como o nosso quentão, mas vão algumas especiarias locais a mais. Uma curiosidade é que o nome glühwein significa “vinho que aquece/ilumina”, e sabemos muito bem que ele aquece o coração como ninguém! Tem o glühwein de vinho branco e tinto, portanto cuidado: Se for beber o tinto cuide com a roupa. Essas feiras são lotadas e o povo aqui tem mania de não pedir licença, vão abrindo caminho com o corpo mesmo, e aí é um desastre!


Schnoor – O bairro medieval

Bairro Medieval de Bremen - Schnoor

Bairro Medieval de Bremen – Schnoor

Temos aqui um bairro medieval que sobreviveu por séculos, mesmo durante a guerra. E lá estão as casinhas mais bonitinhas da cidade. Você sente que entrou numa cidade em miniatura e de mentira de tão bonito que é. No natal fica ainda mais lindo e quando neva, então… Um sonho! É lá também que está a rua mais estreita do mundo. Ela serve pra você ver se a feira de natal está te engordando ou não, pois já vi gente encalhar no meio. Eu ainda estou passando, então posso ficar tranquila!

Fica ao lado da região central, onde fica a principal feira da cidade. É bastante fácil de achar já que tem placas indicando para todo lado. Uma dica legal é passar pela Faculdade de Artes que fica logo na entrada. O prédio é lindo e é lá que os estudantes de música estão. Sempre dá pra ouvir um violoncelo ou um piano tocando. Nesse clima de Natal fica tudo mais encantador.


Feira de Natal medieval – Para fã de Game of Thrones nenhum botar defeito

Garrafa de Met na Feira de Natal de Bremen

Garrafa de Met na Feira de Natal de Bremen

Outra coisa que temos aqui são feiras de Natal medievais. Acho que é uma das atrações mais legais da época, pois é totalmente temática e a comida é um pouco mais rústica que a feira normal. A aqui de Bremen ironicamente não acontece no bairro medieval, mas sim na beira do rio Weser. Como a cidade é portuária, temos vários piratas andando por aqui pela feira. O mais engraçado é ficar em dúvida se a pessoa está fantasiada ou não, pois a moda aqui é bastante estranha.

E nesta feira dá pra comprar itens medievais como bolsas, cintos, colares, roupas e o que eu mais gostei: poções! Tem uma barraca que vende poções para tudo: Para mau-olhado, calvice, dor-de-barriga, dedo-podre, inteligência, beleza, para não ficar bêbado… Cada uma vem numa garrafa linda e com uma explicação de como a poção “funciona”. Uma graça, tive que comprar uma. 🙂

Vendedor Medieval na feira de Natal de Bremen

Vendedor Medieval na feira de Natal de Bremen


A feira de Natal não acontece no Natal

Böttcherstraße no Natal em Bremen

Böttcherstraße no Natal em Bremen

Dica da vida: As feiras de Natal da Alemanha só acontecem até o dia 23/12. Normalmente começam dia 21/11 e vão até a véspera da véspera de Natal. Isso porque na Alemanha o Natal é um evento 100% familiar, então na noite e no dia de Natal (24 e 25 de Dezembro) o povo se entoca e não se vê uma alma viva na rua.

Meu primeiro Natal aqui foi traumático. Todos os meus amigos alemães foram passar com a família e eu ia passar com uns colegas expatriados como eu.

No dia 23 era tudo festa e cheiro de chocolate pela rua. Os alemães todos vestidos de papai-noel e rena, eles adoravam fazer isso, e eu achei que dia 24 seria igual.

Alemães vestidos de rena no Natal de Bremen

Alemães vestidos de rena no Natal de Bremen

Cozinhei para a ceia, me arrumei e saí na rua toda empolgada e ela estava deserta! A não ser pelos loucos, turcos e russos, que acho que não comemoram nada mesmo então aproveitam a data para beber na rua.

No segundo ano eu já aprendi: aproveitei ao máximo o clima natalino até dia 23/12 e na manhã do dia seguinte nem botei o nariz pra fora de casa, fiz um jantar bem íntimo, só para os amados e deixei pra ver a vida novamente só dia 26/12.


Steakbrötchen, Kartoffelpuffer, Raclette, Flammkuchen, Schmalzkuchen e Mandeln

O que mais se faz nas feiras de Natal, além de beber glühwein, é comer, comer e comer. E coisa boa é o que não falta! Não se assuste com os nomes das comidas, é mais fácil de falar do que ler. 😉

O cheiro da comida vai te guiar para a feira de qualquer canto, é incrivelmente convidativo: uma explosão sensorial. E aqui vai uma descriçãozinha dos pratos que eu mais gosto pra deixar com vontade.

Barraca de Steakbrötchen em Bremen

Barraca de Steakbrötchen em Bremen

Steakbrötchen é provavelmente o prato mais chamativo da feira, isso porque é feito em uma fogueira enorme que você vai querer chegar perto só pra poder se aquecer. Lógico que ficar por ali vai deixar você cheirando à Steakbrötchen por dias, mas no inverno vale tudo. O prato é literalmente um steak em um pão. Normalmente de porco, afinal é Alemanha, e você pode adicionar Kraut – repolho (novamente, bem-vindo à Alemanha) – ou alguns molhos.

Kartoffelpuffer é, adivinhem? Batata! Lógico que não podia faltar a combinação porco + repolho + batata, mas afinal, estando na Alemanha, tem que ter. Mas essa batata é diferente, é tipo uma panqueca de batata (literalmente o nome), frita no estilo batata suíça que eles comem com purê de maçã, outra coisa amada pelos alemães. A combinação soa estranha mas é uma delícia! Tão boa que tive que aprender a receita. Mas é bastante gordurosa, como quase tudo por aqui.

E agora vamos falar de um pão com queijo especial: Raclette. Esse é o meu novo queridinho das noites frias. É um pão com queijo raclette derretido e você coloca o que quiser em cima: tomate, cebola, presunto, bacon… É uma cena linda de ver o cara derretendo o queijo sobre o pão, vale a pena ver, e depois não vai ter como resistir. O raclette não é tipicamente alemão mas é tipicamente apreciado aqui na época de Natal. Os mercados lotam de panelas de raclette, queijos e tudo mais que precisa.

Vendedor Medieval na feira de Natal em Bremen

Vendedor Medieval na feira de Natal em Bremen

Flammkuchen. Esse é outro prato típico alemão que não é alemão. Há uma briga histórica pra saber quem é o dono da receita: Áustria ou França. Mas seja lá quem for o dono, os alemães amam. O Flammkuchen se come o ano todo, tem até congelado no mercado, mas combina muito bem com Natal e sempre tem nas feiras. Significa torta de fogo, o que não faz muito sentido, pois está mais para uma pizza retangular absurdamente fininha e crocante. Vai super bem com cerveja de trigo e também você pode escolher o que colocar, sendo o clássico de cebola e cebolinha.

Eu tenho uma adoração enorme por Schmalzkuchen, que é só uma massa de sonho frita com açúcar de confeiteiro por cima. Não sei porque eu acho essa delícia toda, não tem nem recheio. Os alemães sempre fazem piada com isso, mas já ví que a maioria dos brasileiros se apaixonam por essa simples sobremesa. É algo fácil de comer, barato e com gostinho de Natal.

E deixei o melhor para o final: Mandeln. São as amêndoas caramelizadas que fazem um sucesso enorme além de perfumar a cidade toda com o cheirinho de casa de pão-de-ló. O preço é bem acessível e acho que é bem mais barato aqui do que no Brasil, onde normalmente só encontro no aeroporto de Curitiba. A variedade é enorme, além de amêndoas tem nozes, pistache, macadâmia, etc etc. É a sobremesa ideal para a feira de Natal.

Lebkuchenherzen o pão-de-ló alemão

Lebkuchenherzen o pão-de-ló alemão

Além desses pratos que listei tem também o Lebkuchenherzen que são pães-de-ló em formato de coração com mensagens bonitinhas. A tradição diz que temos que comprar para alguém amado, seja o namorado, mãe, vó, amigo. Não é pra comprar para você mesmo: Você dá para a pessoa e ela anda com ele pendurado no pescoço. Nunca vi ninguém comendo e por algum motivo muito triste na vida nunca ganhei um, então vou ficar devendo maiores explicações. :'(

E lógico, por aqui também tem chocolate, bratwurst, profiteroles, langos, crêpes, maçãs-do-amor e outras coisas mais. Mas ainda me faltam alguns anos pra conseguir experimentar tudo que tem por lá. Ano que vem atualizo a lista de comilança e aviso se ainda passo pela rua mais estreita do mundo!

A feira de Natal de Bremen se divide entre a região da praça central onde fica a catedral, Domsheide (diz-se Doms-reide, não fale Dom-cheide porque é um palavrão! hahaha) e se estende até Am Brill. A feira medieval fica no Schlachte, na beira do rio, que também é perto e dá pra fazer tudo à pé. Para concluir, dê uma voltinha no Schnoor, que fica no caminho entre as duas feiras, e tenha uma overdose de fofura alemã!

 

Qual bairro se hospedar

Essa dica extra é pra ajudar a escolher a melhor região pra ficar em Bremen. Não recomendo ficar em locais afastados a não ser que a ideia seja fazer a viagem de carro pelos arredores de Bremen, aí é bom pegar os bairros com saída para as Autobahns. Mas no geral aqui no norte é bem fácil de viajar de trem então os bairros centrais são as melhores opções mesmo.

Se você vai ficar pouco tempo e só vai explorar o roteiro clássico de Bremen, recomendo o Mitte e o Altstadt, são as áreas com a maior densidade de hotéis em Bremen e com todo tipo de preço e conforto. Bremen é muito segura, então não há problemas de ficar em um bairro ou em outro.

Outra boa opção é o Ostertor, que é entre o centro e o Viertel, basicamente você faz tudo à pé. Desde a pracinha da cidade velha até o moinho. Tem os museus e teatros na região e até ir pro Bürgerpark você consegue, mas é uma pernadinha.

Agora, se tua viagem é relacionada à Universidade (que é bem comum), tem hotéis na região do campus e também no bairro Schwachhausen. Esse bairro começa perto da Am Dobben e beira o Bürgerpark, tem umas casas lindas demais com o estilo londrino (Bremen é conhecida como a pequena Londres também, pelo jeito é a pequena tudo né). E se você tem um orçamento mais folgado, tem o hotel do parque que é lindão, rola até casamento, o Dorint Park Hotel Bremen.

Para a juventude, no Viertel (Steintor) tem vários hostels e acomodações para alugar. Mas é aquela zona, né, recomendo mesmo mais para jovens. O mais famoso é o Townside Hostel Bremen, fica bem no começo do bairro e tem gente do mundo todo se hospedando. É uma região muito gostosa de ficar por ser perto do Weser e da Weser promenade.

É isso aí, espero ter ajudado um pouco no seu planejamento de viagem para essa cidadezinha que é uma graça e pouco visitada por brasileiros. Se vier para cá comente aqui o que achou, fico curiosa pra saber o que os outros pensam da minha atual casa. 🙂

E se curtiu as dicas e o blog, façam suas reservas pelos nossos links! Você não paga nada a mais mas recebemos uma comissão que ajuda a manter esse blog aqui com novidades e dicas.

E agora com licença que depois de escrever esse post já me deu uma fome absurda. 😉

Para planejar sua viagem

Booking.com - Hotel, hostel ou apartamento? No booking.com é fácil de reservar e fácil de cancelar. Aproveite os descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis. Observe as regras de cancelamento de cada hospedagem.

Airbnb - Se viajar mais como local do que como turista é o seu estilo, no Airbnb você encontra casas, apartamentos e até quartos na casa de alguém.

Flixbus - A Flixbus é uma empresa de ônibus que atua em grande parte da Europa. São 1700 destinos em 28 países.

Aluguel de carro - Pensando em alugar um carro? Na Rentcars você paga em reais e sem IOF nas reservas internacionais feitas no Brasil.

Seguros Promo - Você escolhe a seguradora entre as mais famosas do mercado.

Reservas on-line de passeios, ingressos e outras atividades turísticas
No Brasil - TourOn
No exterior - GetYourGuide

Gostou do blog? 😊 O Conheci e Curti participa de programas de afiliados de empresas do setor de viagens e turismo. Isso significa que se você fizer alguma reserva através dos links aqui no blog você nos ajuda com uma pequena comissão. Você não paga nada mais por isso e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo para o Conheci e Curti!

Esse post faz parte da ação conjunta/blogagem coletiva Mercados de Natal da RBBV – Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem. Participam dessa ação:

Alemanha
Feira de Natal de Bremen – Conheci e Curti
Os mercadinhos de Natal em Berlim, Bremen e Oldemburgo – Turistando.in
Diferenças entre Mercado de Natal e Mercado Medieval na Alemanha – Ligado em Viagem

Itália
Mercadinhos de Natal na Toscana – Noticias da Bota

Variados
3 Mercados de Natal Que Quero Conhecer – Travel with Pedro

***

Escreva seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Pingback: Destaques da Semana 93: Blogagem Coletiva de Mercados de Natal | RBBV – Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem

  2. Pingback: Conhecendo os mercadinhos de Natal em Berlim, Bremem e Oldemburgo