Armazém Português, Curitiba

Nossas aventuras no Festival Bom Gourmet de Curitiba

Os restaurantes que conhecemos no Festival Bom Gourmet de Curitiba

O Festival Bom Gourmet de Curitiba é uma realização da Gazeta do Povo e está em sua 6ª edição. Esta edição de 2017 reúne mais de 50 restaurantes da cidade, que oferecem menu completo a preços promocionais. Os menus possuem entrada, prato principal e sobremesa e custam R$ 44 ou R$ 54 por pessoa. É possível escolher entre duas opções de entrada, duas de prato principal e duas de sobremesa na maioria dos restaurantes. O evento acontece de 6 a 29 de outubro, então corre que ainda dá tempo! Se não der… no ano que vem tem mais. 🙂

A vantagem de participarmos como clientes nesse evento é que temos a oportunidade de experimentar e conhecer novos restaurantes sem susto, sabendo que o preço cabe em nosso bolso. Acessando o site do Festival Bom Gourmet da Gazeta do Povo, podemos escolher qual o tipo de comida que queremos experimentar e qual o restaurante que queremos conhecer, sabendo que vamos pagar R$ 44 ou R$ 54 por menu por pessoa. Logicamente que nesse valor não está incluso bebidas, nem outros agregados como cafezinho. Ah! Os 10% do serviço também é adicional, mas vale a pena.

A vantagem para os proprietários dos restaurantes é que eles podem promover o seu estabelecimento atraindo mais clientes, desde que o atendimento ao cliente do Festival seja feito no mesmo padrão do atendimento do cliente tradicional. Vamos combinar assim né gente?

Como não viajamos nos feriados de 12 de outubro, combinamos experimentar um restaurante do Festival Bom Gourmet. Dentre os mais de 50 restaurantes, escolhemos o de comida portuguesa para experimentar.

Armazém Português

O Armazém Português é um pequeno e simpático restaurante que fica na rua Moysés Marcondes, no bairro Juvevê, em Curitiba. Para quem não conhece Curitiba, sugiro colocar o endereço no GPS, o Juvevê é um bairro com um dos traçados mais esquisitos que eu já vi por aqui, rsss.

O restaurante tem capacidade para 45 pessoas. Chegamos tarde, sem reserva, e o local estava simplesmente lotado! Aguardamos em torno de meia hora para conseguirmos uma mesa, mas valeu a espera! Estávamos em quatro pessoas, minha mãe, eu e dois de meus filhos. Do cardápio oferecido no Festival Bom Gourmet, eu pedi de entrada a Bruschetta de bacalhau e minha filha pediu o bolinho de bacalhau. Ambos excelentes!

Armazém Português, Curitiba
Bruschetta de bacalhau do Armazém Português, Curitiba
Bolinho de Bacalhau do Armazém Português
Bolinho de Bacalhau do Armazém Português

Como prato principal nós três pedimos o Bacalhau Cascais. O prato é feito de lascas de bacalhau assadas em azeite e temperos, azeitonas picadas, tomates, purê de batata, maionese e queijo parmesão, uma delícia!!

Armazém Português, Curitiba
Bacalhau Cascais do Armazém Português, Curitiba

Minha mãe pediu como prato principal Bacalhoada de Forno, que é feito com lascas de bacalhau assado em azeite e temperos, batatas miúdas inteiras, cebola em rodelas, pimentões coloridos fatiados, ovos cozidos, azeitonas picadas, temperado com leite de coco, salsinha e pimenta do reino. Uauu… lindo e delicioso! Na sobremesa todos nós fomos de crepe de banana com creme de avelãs.

Armazém Português, Curitiba
Bacalhoada de Forno do Armazém Português, Curitiba

Minha opinião? Adorei ter conhecido o restaurante. O ambiente é agradável, descontraído e as pessoas que atendiam lá super simpáticas e atenciosas. No dia o restaurante estava muito cheio e os funcionários correndo para lá e para cá para atender todos a tempo, e mesmo com toda a correria, fomos muito bem atendidos, os pratos vieram rápido, gostamos da comida e pretendemos voltar para experimentar o bacalhau com natas que consta do cardápio da casa. Quero ver se é igual ao que comemos em Portugal! 🙂

Armazém Português, Curitiba
Armazém Português, Curitiba

Saímos bem tarde do restaurante. Quando saímos, vi que em uma das mesas externas que ficam na calçada, havia um homem humilde fazendo sua refeição num marmitex servido pelo restaurante. Gente, como não amar um restaurante assim?

Churrascaria Badida

Nossa segunda aventura gastronômica no Festival Bom Gourmet da Gazeta do Povo foi conhecer o Badida. Restaurante sofisticado localizado no bairro Batel de Curitiba, a Churrascaria Badida é o que podemos chamar de uma churrascaria gourmet. O prédio construído com um pé direito bastante alto dá um ar de requinte ao ambiente. O estabelecimento conta com estacionamento próprio, com manobrista e assim como o Armazém Português, estava literalmente lotado.

Liguei pela manhã para fazer uma reserva, mas o horário limite para reservas era até 12h30, achei muito cedo ainda mais sendo o 1º dia de horário de verão, assim resolvemos enfrentar novamente uma fila. Como Curitiba tem clima bipolar, nesse dia estava frio. Aqui é assim, um dia pode estar muito quente e no dia seguinte um frio inexplicável, isso quando não faz as quatro estações do ano num mesmo dia, mas o charme da cidade é esse seu clima temperamental! 🙂

No Badida, a pessoa que atendia os clientes organizando a fila, era uma jovem senhora, bonita e simpática. Depois de meia hora de espera, no encaminharam para a nossa mesa e sentamos para mais uma experiência gastronômica Bom Gourmet. Novamente estávamos nós quatro, minha mãe, eu e os dois filhos. Já havíamos previamente escolhido o cardápio no site da Gazeta do Povo, então sentamos e aguardamos. Aqui a coisa não fluiu muito bem como no restaurante anterior. Depois de um pequeno tempo de espera (a churrascaria estava lotada) o garçom nos trouxe o cardápio convencional. Olhamos o cardápio, aguardamos o retorno do garçom e avisamos que queríamos o cardápio Bom Gourmet, aí veio o cardápio correto. Nesse meio tempo, passou um garçom servindo linguiça, achei estranho pois não constava a tal da linguiça no cardápio apresentado no Bom Gourmet, expliquei para o garçom que nosso cardápio era o Bom Gourmet, ao que ele respondeu que a linguiça era aperitivo, não deixando claro se pertencia ao cardápio, se era cortesia da casa ou se era paga. Achei esquisito, mas aceitamos meio constrangidos, em nenhum momento nos contaram que o tal aperitivo era pago à parte! Rá! Depois do aperitivo não solicitado veio a entrada, essa sim correta. Era uma linda salada de folhas com batatas palha, berinjela, pães e pão de queijo, azeitonas, farinha de mandioca, molho de cebola, manteiga e molho chimichurri. A entrada (couvert) já era meio almoço e era deliciosa!

Entrada do Badidas no Bom Gourmet.
Entrada (Couvert) do Badida no Bom Gourmet.

Em seguida escolhemos as carnes das duas opções do menu Bom Gourmet, minha mãe, minha filha e eu escolhemos o Entrecôte com arroz à grega e farofa e meu filho escolheu a outra opção, que era Fraldinha com os mesmos acompanhamentos. Tudo muito saboroso.

Prato Principal do Badidas no Bom Gourmet.
Prato Principal do Badida no Bom Gourmet.

Ao final chamamos o garçom para pedirmos a sobremesa, meus filhos e eu escolhemos o Creme de papaia com cassis e minha mãe optou pelo Brownie com sorvete de creme.

Sobremesa do Badidas no Bom Gourmet.
Sobremesas do Badida no Bom Gourmet.
Brownie com sorvete de creme
Brownie com sorvete de creme

Minha opinião: A quantidade no menu Bom Gourmet é bastante farta, o atendimento da Sra. que coordenava a fila de espera era muito eficiente, mas achei que o restaurante estava um pouco “atrapalhado” na questão do Festival Bom Gourmet. Ao contrário da nossa experiência no Armazém Português, os pratos não foram anotados todos juntos, sendo pedidos um por um, à medida que terminávamos o anterior. O problema é que cada vez um garçom diferente nos atendia, perguntando novamente o que gostaríamos, nos dando opções do cardápio normal, e lá vamos nós explicar de novo “estamos provando o cardápio Bom Gourmet”. Isso foi meio cansativo e um tanto constrangedor, além de que alguns garçons (“alguns” pra você ver como foram muitos que nos atenderam) não pareciam saber direito como funcionava o evento. Sem contar que quando chegamos um garçom logo veio perguntar o que gostaríamos de beber, mas não entregou o cardápio, falamos que não tínhamos o menu de bebidas e ele apenas ficou nos olhando. Perguntamos então o que tinha para beber e ele continuou a nos olhar em silêncio! Acabamos por pedir às cegas sucos que julgávamos ter no restaurante e deu certo, mas é assim? A comida era boa  e o atendimento (pelo qual costumam ser elogiados), para nós, deixou a desejar. A impressão que nos deu é de que o Badida infelizmente não estava preparado para atender clientes do Bom Gourmet.

Dica: Fique esperto com a tal da linguicinha que não consta de seu cardápio. 🙂
Obs.: Reclamei de terem cobrado a linguiça, que deixam bem confuso se é paga ou não, e depois de alguma dificuldade com a “matemática” no fim da conta nos foi estornado.

Além desses restaurantes, conhecemos o Pata Negra, restaurante especializado na culinária espanhola, o Château de Gazon de culinária suíça e o delicioso Saanga Iguaçu. Difícil dizer de qual gostamos mais. Quer ver como foram essas experiências experiências? Clique aqui para ir ao próximo post.

Conheci e Curti
Conheci e Curti

Fomos conhecer os restaurantes como clientes pagantes. De nenhum deles recebemos degustação como cortesia. Nossa opinião nesse post é a opinião de um cliente como qualquer outro, turista ou cliente local, que resolveu conhecer o estabelecimento.

#Dica: Quando vier para Curitiba aproveite para conhecer os arredores da cidade. Desça a Serra da Graciosa de carro (ou desça com o trem que também é lindo!), almoce um barreado em Morretes ou vá experimentar as deliciosas tortas alemãs em Witmarsum. Se estiver sem carro e quiser ter mais liberdade, alugue um para dar um giro por aí, tem muita coisa bonita e interessante para conhecer. Faça um ensaio de locação aqui na Rentcars.

Onde ficar: Curitiba tem uma excelente rede de hotelaria. Reserve já o seu hotel em Curitiba e garanta os melhores preços!


Booking.com

Veja também

Deixe uma resposta