Santiago do Chile

Cinco dias em Santiago do Chile

Passamos cinco dias em Santiago e cinco dias no Deserto do Atacama, nunca andei tanto em minha vida… vocês descobrirão nos posts o porquê.

Em Santiago, nos hospedamos num flat na região da Providencia, que ficava a uma quadra da estação de metrô Los Leones, da linha 1 (linha vermelha). Com acesso fácil ao metrô fizemos todos os passeios sem utilizar táxi, tudo com transporte coletivo e a pé.

Nosso 1º dia em Santiago – Catedral, Walk Free Tour e bairro Bellavista
Gastamos a manhã de nosso primeiro dia com procedimentos administrativos, pois como havíamos chegado na noite anterior, só pegamos a chave do apartamento e não pagamos nada, então uma parte da manhã foi gasta com o check-in, pagamento da estadia, ida ao câmbio pra trocar dinheiro e a preguiça natural. Quando viajamos por conta própria nos damos o direito de curtir as coisas mais devagar, sem entrar no ritmo frenético de excursão, não precisamos disso…. Após os acertos administrativos necessários, saímos para comer alguma coisa e estarmos no ponto marcado para início do Walk Tour com uma certa antecedência para dar tempo de conhecermos a Catedral.

Catedral de Santiago do Chile
Catedral de Santiago do Chile – Plaza de Armas

A Catedral é belíssima, é o principal templo católico do Chile e fica na Plaza de Armas, centro histórico de Santiago, é super tranquilo para chegar lá de metrô. Ela é a quinta igreja construída no mesmo local, as anteriores foram destruídas por incêndios ou terremotos. Fica aberta todos os dias para visitação.

Missa na Catedral de Santiago - Chile
Missa na Catedral de Santiago – Chile

Na época que visitamos Santiago, a Plaza de Armas estava em reforma, várias partes fechadas com tapumes o que prejudicou a visão do local. Ela é a principal praça de Santiago e é considerada o marco zero da cidade, onde se encontra a Catedral de Santiago, o prédio dos correios e o Museu Histórico Nacional.

Prédio espelhado que faz a alegria dos fotógrafos. Plaza de Armas, Santiago-Chile. Foto by Mary.
Prédio espelhado que faz a alegria dos fotógrafos. Plaza de Armas – Santiago. Foto: Mary

O Walk Free Tour
Existem algumas empresas que fazem o walk free tour em Santiago. A que acompanhamos foi a Free Tour Santiago. Os guias usam uma camiseta vermelha onde está escrito em branco FREE TOUR. Não é necessário reservas, basta estar no ponto de encontro um pouco antes do horário marcado. O ponto de encontro é na frente da Catedral na Plaza de Armas e o guia explica em inglês (linguagem universal) para quem tem inglês básico fica um pouco difícil de acompanhar as explicações.

Plaza-de-Armas-Santiago-Chile-Free-Tour
Monumento a Los Indigenas na Plaza de Armas

O tour tem duração de 3h30 a 4 horas caminhando pelo centro de Santiago, por isso faça um bom condicionamento físico antes de viajar. São dois os horários de saída: às 10h e às 15h, nós fizemos o tour das 15h. É um free tour porque não há um valor pré-definido de contribuição, funciona na base da gorjeta. No final do passeio eles pedem uma contribuição pelo trabalho, o que é justo, afinal ninguém trabalha de graça. Eles sugerem uma contribuição de 10 USD por pessoa, mas você não é obrigado a dar isso, pode dar menos, pode dar mais.

Palacio de La Moneda - sede do governo chileno
Palacio de La Moneda – sede do governo chileno

O walk free tour passa em frente das principais construções e monumentos do centro da cidade, conta um pouco de cada um deles, conta um pouco da história, mostra os parques e os cerros, passa na frente da sorveteria mais famosa de Santiago o Empório La Rosa, cujo sorvete mais famoso é o sorvete de rosas. Não dá tempo para parar e tomar um sorvete, mas nada que não se possa realizar o desejo no dia seguinte. 🙂 Também passa pelo bairro Bellavista e termina em frente à La Chascona, casa do poeta Pablo Neruda. O tour tem um percurso de mais ou menos 4 km de caminhada pelo centro de Santiago.

La Chascona, casa-museu de Pablo Neruda
La Chascona, casa-museu de Pablo Neruda

O interessante do walk tour é que ele dá uma visão geral o que nos permite escolher o que ver mais detalhadamente no dia seguinte.

Bairro Lastarria - próximo ao Cerro Santa Lucía - Santiago
Rua do bairro Lastarria – próximo ao Cerro Santa Lucía – Santiago

Como estávamos hospedados num flat nosso dia termina no supermercado da esquina de casa. 🙂  O estar num flat ou num apart-hotel te dá uma sensação de viver um pouco como os moradores de lá, dá a sensação de estar um pouco mais integrado à cidade, gosto disso.

02 dia – Museu Histórico Nacional , Cerro Santa Lucía, sorvete de rosas e mais…
No segundo dia em Santiago (um domingo), conhecemos o bairro Paris-Londres e visitamos o Museu Histórico Nacional. Após a visita ao museu, nos demos um merecido almoço no Mercado Central, depois partimos para subir a pé o Cerro Santa Lucía e terminamos a tarde saboreando um delicioso sorvete de rosas no Parque Forestal.

Bairro-Paris-Londres
Bairro Paris-Londres

Bairro Paris-Londres – O Bairro está localizado na região central de Santiago e é formado por duas ruas, a Calle Paris e a Calle Londres que se cruzam. As ruas são estreitas e a pavimentação, tanto das ruas quanto das calçadas, é com paralelepípedos. O estilo das construções lembra o velho continente o que dá um charme especial para a região.

Como visitamos num domingo, estava absolutamente deserto, as únicas pessoas andando naquelas ruas estreitas éramos nós, o que me deu uma sensação de insegurança (stress de brasileiro?)

O bairro fica próximo à estação de metrô Universidad de Chile e próximo do Cerro Santa Lucía. Quem estiver turistando na região central de Santiago pode ir a pé, a distância dele até a Plaza de Armas é de aproximadamente 800 metros.

Museu Histórico Nacional – Fica na Plaza de Armas, ali pertinho da Catedral. Para visitar o museu e apreciar o seu acervo gasta-se de 1h30 a 2 horas lá.

Museu Histórico Nacional - Santiago, Chile
Museu Histórico Nacional – Santiago, Chile
Museu-Nacional-Chile-povos-originarios
Museu Nacional – Acervo da Sala dos Povos Originários

No Museu Histórico Nacional, a história do Chile é contada museograficamente através de 18 salas temáticas. A primeira sala de exibição é sobre os povos originários, os que habitavam o território chileno antes da chegada dos espanhóis. Representa a cultura inca, arica, aymara, atacamenha, yámana, selkhnam o rapanui. Depois vamos passando para as outras salas, cada uma delas representando e contendo o acervo de uma parte da história do Chile.

Museu – Localização e horários
Plaza de Armas, 951 -Santiago
(Metro Plaza de Armas).
Horário: terça a domingo
das 10:00 às 18:00 horas.
Entrada gratuita

 

Mercado Central – O Mercado Central fica três quadras da Plaza de Armas, dá para ir a pé. O edifício tem sua cobertura em estrutura metálica, em ferro forjado, projetado no Chile e fabricado na Inglaterra. Foi inaugurado em setembro de 1872 e em 1984 foi declarado monumento histórico nacional, estando assim protegido por lei. É uma estrutura belíssima que vale a pena ser apreciada. Hoje a sua parte central é dominada pela gastronomia, embora ainda existam espaços para a comercialização de peixes e frutos do mar e há algumas barracas que vendem artesanato. Como toda região turística atrai malandro, não dar bobeira com bolsa, máquina fotográfica e celulares é altamente recomendável.

No seu interior a parte gastronômica é dominada pelo restaurante Donde Augusto, que foi onde almoçamos, pois para onde você olha só vê Donde Augusto. O prato típico é a centola, aquele caranguejo gigante, mas como o preço também é gigante ficamos com o congrio que estava mais de acordo com nosso orçamento de viagem e era muito bom!

Ali é aquele típico clima turístico, com cantores circulando entre as mesas, garçons correndo para atender todo mundo, etc e tal. Vi críticas em alguns blogs, mas como eu estava turistando, eu gostei, fomos muito bem atendidos pelo garçom de nossa mesa. Se eu voltar para Santiago, voltarei a almoçar no Mercado Central, dessa vez com mais experiência, menos fome imediata, e mais tempo para pesquisar os restaurantes do local. Uma curiosidade é que são exibidas camisas e bandeiras de clubes de futebol brasileiros, belo marketing do restaurante. Olhem o que eu achei por lá! 🙂

Mercado-Central-times
Bandeiras de times de futebol no Mercado Central

Cerro Santa Lucía
O Cerro Santa Lucía está localizado no bairro Lastarria, centro da cidade de Santiago. Pode-se chegar a ele por metrô estações Santa Lucía ou Universidad Católica da linha vermelha, ou estação Bellas Artes para quem estiver na linha verde, mas pode também ir a pé se estiver turistando pelo centro da cidade de Santiago, foi o que fizemos. O Cerro tem aproximadamente 70 metros de altura e a subida é feita a pé. Leia sobre o Cerro neste post.

Cerro Santa Lucía - Santiago, Chile
Cerro Santa Lucía – Santiago, Chile
Sorvete de rosa
Sorvete de rosa

O sorvete de rosas – O Emporio La Rosa é uma sorveteria super conhecida dos chilenos mas ainda não tão conhecida dos estrangeiros. Fica no bairro Lastarria, próxima ao Cerro Santa Lucía e ao Parque Forestal.

O Emporio La Rosa Merced tem um espaço físico pequeno, possui algumas mesas na calçada e uma fila enorme de gente para tomar sorvete. Enfrentamos a fila e experimentamos o sorvete de rosa que dá o nome à sorveteria. Delicioso! Terminamos nossa tarde degustando nossos sorvetes no Parque Forestal.
Endereço: Emporio La Rosa Merced
Merced 291 – Santiago

 

Nosso 3º dia foi dedicado ao Museu a Céu Aberto, Urbn Stgo e ao Cerro São Cristóbal – O Museu a Céu Aberto, em San Miguel, é uma arte urbana desenvolvida nas paredes cegas dos edifícios ao longo das ruas Departamental e Tristán Matta.

Urbn Stgo – O Museu a Céu Aberto de San Miguel
Urbn Stgo – O Museu a Céu Aberto de San Miguel

Esse projeto muralista nasceu em março de 2009 com Roberto Hernandez Bravo, David Villarroel e Fuentes, ambos moradores da comunidade de San Miguel. É um passeio diferente, muito interessante e pouco comentado nos blogs de viagens. Veja mais fotos e dica de como chegar aqui.

Urbn Stgo – O Museu a Céu Aberto de San Miguel
Urbn Stgo – O Museu a Céu Aberto de San Miguel

Do bairro humilde para o bairro rico
Saindo de San Miguel pegamos o metrô até Las Condes. Bairro chique, alto padrão, lojas de grife, shopping caro… Nada disso faz minha cabeça, mas para turistar vá lá…

Las Condes - Chile
Las Condes – Chile

Andamos pela região, fizemos uma refeição leve, tiramos algumas fotos e pegamos novamente o metrô com destino ao Cerro San Cristóbal.

Las-Condes-Chile-01
Las Condes, Chile

Subindo o Cerro San Cristóbal e descendo a pé
Subir o Cerro San Cristóbal é um dos passeios turísticos de Santiago, então como turistas lá fomos nós. Chegamos já no final da tarde e para nosso azar naquele dia não havia o funicular, o transporte morro acima estava sendo feito por vans, de uma forma um tanto quanto desorganizada. Nossos filhos (jovens) queriam descer a pé, meu marido e eu optamos por retornar com a van. Tickets comprados, lá fomos nós de van, morro acima. Combinamos com nosso filhos nos encontrarmos no término do passeio lá em baixo uma vez que voltaríamos com a van e eles a pé.

San-Cristobal-van
Cerro San Cristóbal – a van que nos levou morro acima, funicular em manutenção

A vista lá de cima é muito bonita, no alto do Cerro fica o Santuario de la Inmaculada Concepcion, o acesso é por escadaria, mas não é muito difícil.

Santuario de la Inmaculada Concepcion - Cerro San Cristóbal - Chile
Santuario de la Inmaculada Concepcion – Cerro San Cristóbal – Chile

Depois de visitarmos o santuário, de admirarmos a vista (apesar do ar poluído pelas queimadas da região metropolitana), fomos ao ponto de encontro para pegar a van de volta, era final de tarde e a última viagem da van, mas…..

Cerro San Cristóbal - Santiago, Chile
Cerro San Cristóbal – Santiago, Chile

Chegamos ao local de partida da van com 5 minutos de antecedência, só que a van antecipou sua decida e nós ficamos lá em cima, sem van, sem funicular e sem carro. Ficamos sem nada e perdemos o valor pago pela passagem de volta.

Santiago-Chile-jan-2014
Descida do Cerro San Cristóbal no final da tarde

Já que havíamos sido abandonados, resolvemos descer a pé. Seguimos o caminho dos ciclistas, por orientação dos chilenos, que segundo eles, era um caminho mais curto e mais seguro para quem estava a pé, principalmente por ser final de tarde e estar começando a escurecer. No outro caminho, ainda segundo os chilenos, ocorriam assaltos. Então, ao invés de retornarmos para Bellavista, saímos na rua Pedro de Valdívia pertinho da Providencia, onde era nosso hotel e longe do ponto de encontro com nossos filhos. Resultado era perto o suficiente para não pegarmos o metrô e longe o bastante para andarmos a pé depois dos mais de 4 km de descida do morro…

Rua Pedro de Valdívia - Santiago
Rua Pedro de Valdívia – Santiago

O que mais valeu no passeio foi a descida a pé. Éramos poucas pessoas a pé e uma quantidade enorme de gente descendo de bicicleta. 🙂

Como chegar ao Cerro San Cristóbal – Estação de metrô Baquedano.
#Dica – Fique atento ao horário de retorno se você estiver lá no final da tarde e der bobeira vai ficar… tudo bem que sempre tem uns táxis por lá para pegar os mais distraídos.
#Dica2 – Descer a pé é muito legal, mas se o fizer, não deixe para descer muito no final da tarde, a sensação de insegurança no final da tarde é maior.

Viña del Mar e Valparaiso, a viagem que deu errado
Nosso quarto dia em Santiago foi dedicado a um bate-volta até Viña del Mar e Valparaiso, pra muita gente dá muito certo, mas mim foi o passeio mais frustrante da viagem. Conto sobre esse passeio aqui.

Relogio-das-Flores-Viña-del-Mar
O Relógio das Flores de Viña del Mar – Reloj de Flores em espanhol.

O divertido passeio à Vinícola Undurraga – 5º dia
Turistar no Chile e não visitar uma vinícola é quase um pecado! Todo mundo que vai para o Chile conhece ao menos uma! Eu nunca havia visitado uma vinícola, assim não vou dizer que a Viña Undurraga é a melhor nem dizer que é “melhor que” mas que valeu, valeu! Foi uma experiência muito legal e uma visita muito divertida. Leia sobre o passeio à Viña Undurraga clicando aqui, tenho certeza que vai gostar.

Viña Undurraga - vinícola chilena perto de Santiago no Chile.
Viña Undurraga – vinícola chilena perto de Santiago no Chile.

 

Indo para o Atacama, o lugar mais lindo do mundo!
No 6º dia de viagem embarcamos para o Atacama com aquele voo da LAN que foi complicadíssimo e esquisitíssimo comprar. O transfer previamente agendado e pago com a Transvip chegou pontualmente em nosso flat e partimos para a segunda etapa de nossa viagem, era meio “uma aventura” para mim, logo eu que tenho alergia ao sol. Sim tenho alergia… mas fui, com protetor solar, chapéu e camisão de manga comprida. Foi uma das melhores viagens que fiz, ficará gravada para sempre na minha memória e no meu coração. O deserto do Atacama é lindo. Escreverei um post especial falando do Atacama.

Las Tres Marías, raras esculturas de sal - Vale da Lua, Deserto do Atacama
Las Tres Marías, raras esculturas de sal – Vale da Lua, Deserto do Atacama

Se você gostou de Santiago também poderá gostar de Lagos Andinos na região de Los Lagos, sul no Chile.

Posts dessa viagem
Conhecendo o Chile no verão
Cinco dias em Santiago, Chile
O Cerro Santa Lucía e o sorvete de rosas
Urbn Stgo – museu a céu aberto
Viña Undurraga, um passeio divertido
Viña del Mar e Valparaíso, o passeio que deu errado
Os textos sobre o deserto do Atacama logo virão para o blog. O Atacama foi o lugar mais lindo que eu já vi.



Booking.com

Links úteis
Free Tour Santiago (a que seguimos)
Spicy Chile – Free Walking Tours
Emporio La Rosa
Museu Histórico Nacional
Museu a Céu Aberto, em San Miguel
Mercado Central
Mapa do metrô de Santiago

Veja também

Deixe uma resposta