Parque das Águas. Caxambu, MG

Caxambu e o Parque das Águas

Em Caxambu é onde se encontra o maior complexo hidromineral do mundo, vem conhecer!

Caxambu || São Lourenço || São Tomé das Letras ||  Baependi ||
Fazenda Centenária || Turistando no Sul de Minas

Caxambu é uma pequena cidade do Sul de Minas Gerais, situada nas montanhas da região da Serra da Mantiqueira, tem 895 m de altitude e uma população de pouco mais de 20 mil habitantes. É aqui que se encontra o maior complexo hidromineral do mundo. A cidade é tranquila e o povo é muito simpático com o turista.


Imagem da Igreja Matriz, N. Sra dos Remédios

A grande atração turística da cidade é seu complexo hidromineral com 12 fontes de água mineral com propriedades diferentes. As fontes se concentram no Parque das Águas Doutor Lisandro Carneiro Guimarães, tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais.

Ficamos uma semana em Caxambu. Como comentei no post anterior, chegamos à noite após 13 horas de viagem. A manhã seguinte à chegada era livre para que o grupo pudesse descansar. 🙂

Parque das Águas de Caxambu.
Parque das Águas de Caxambu.

Caxambu tem charretes que levam turistas pra baixo e para cima no centrinho da cidade. Pelo que me falou o charreteiro que nos levou para um tour, todos são credenciados pela prefeitura local e fazem curso de guia turístico na cidade.

Depois do delicioso café da manhã no Hotel União, fomos até o saguão para matar tempo e pensar no que fazer. Na frente do hotel havia charreteiros oferecendo um city tour de charrete. Conversamos com um deles negociamos o passeio e resolvemos experimentar. Ele nos disse que faria um circuito pelo centro da cidade, mostrando as principais atrações e depois pararia na loja de calçados, de pijamas e mais uma. Falei que prefiro o turismo de conhecimento e não o de compras e acertamos um passeio sem lojinhas, na base de R$10,00 por pessoa. E lá fomos nós!

Caxambu - MG, nosso passeio de charrete.
Caxambu – MG, nosso passeio de charrete.

Fernando, o charreteiro que nos levou passear, foi nos contando as histórias da cidade. A palavra Caxambu, segundo ele, na língua indígena teve origem do termo catã-mbu que significa águas que borbulham e na língua africana a palavra Caxambu significa tambor.

Nossa primeira parada de charrete foi em frente ao Palace Hotel Caxambu. O Palace é um hotel histórico. Foi fundado em 1892 por João Carlos Vieira Ferraz um grande empreendedor de sua época.

Nossa charrete na frente do Palace Hotel em Caxambu, Minas Gerais.
Nossa charrete na frente do Palace Hotel em Caxambu, Minas Gerais.

A Igreja Matriz – Nossa Senhora dos Remédios 

Interior da Igreja Matriz, N. Sra dos Remédios. Caxambu
Interior da Igreja N. Sra dos Remédios.

Continuamos nosso passeio de charrete e logo adiante paramos na Igreja Matriz, a Igreja de Nossa Senhora dos Remédios. Fernando nos contou que Nossa Senhora dos Remédios é a padroeira da cidade de Caxambu.

A Igreja teve sua pedra fundamental lançada em 1892 no local da velha capelinha de N. Sra. dos Remédios do século XVIII e ficou pronta em janeiro de 1906. O teto tem um trabalho em madeira muito bonito.

Depois de visitarmos a Igreja voltamos a subir na charrete e continuamos o passeio. Passamos pela entrada do Parque das Águas, pela Praça 16 de Setembro, onde há uma obra do escultor Chico Cascateiro e passamos em frente ao Hotel Caxambu.

 

 

O Hotel Caxambu tem mais de 130 anos, é o mais antigo da cidade, foi fundado em 1884 no local onde se encontra até hoje.

Hotel Caxambu, o mais antigo da cidade.
Hotel Caxambu, o mais antigo da cidade.

Escola Padre Correia de Almeida
Seguindo o passeio, passamos em frente à Escola Padre Correia de Almeida, uma bonita construção de 1926, decorada com azulejos, lembrando as nossas origens portuguesas. Fernando foi super gentil, dando uma parada para eu fazer as fotos e para ir ao supermercado para comprar um galão de água 🙂

Fachada da Escola Padre Correia Almeida.
Fachada da Escola Padre Correia Almeida.

Fomos em seguida para a antiga estação ferroviária, desativada quando foram desativadas as ferrovias no Brasil. A estação foi transformada na rodoviária da cidade, ela é perto do Hotel União onde estávamos hospedados. Depois da estação, o nosso guia da charrete nos deixou no hotel. O passeio que fizemos foi bem legal. Quem estiver turistando em Caxambu e quiser dar uma rodada na charrete do Fernando, pode contatar pelo fone (35) 9 88112-29170, mas ele está sempre por ali, na frente do Parque das Águas ou dos hotéis.

Caxambu - MG, nosso passeio de charrete.
Caxambu – MG, nosso passeio de charrete.

À tarde tínhamos um City Tour organizado pela excursão, esse com a guia que nos acompanhou durante toda nossa estadia em Caxambu. O City Tour era para ser com nosso busão (o que é um pouco difícil nas ruas estreitas de Caxambu), mas a galera resolveu trocar o ônibus pelo trenzinho e o City Tour acabou sendo de trenzinho. Vimos o que já havíamos visto e o passeio de charrete ganhou, porque foi parando nos locais que queríamos fotografar.

O Parque das Águas
O trenzinho nos deixou na entrada do Parque das Águas, onde seguimos o passeio com a Ana, nossa guia local.

Parque das Águas de Caxambu - MG.
Parque das Águas de Caxambu – MG.

O Parque das Águas de Caxambu possui 12 fontes de águas minerais, com propriedades diferentes uma das outras. O parque é grande, tem cerca de 210 mil m2 de área e além das fontes tem sua imensa área verde, o lago, o balneário de hidroterapia, piscina de água mineral, obras do artista Chico Cascateiro, pista de cooper, etc. A empresa que faz o engarrafamento da água de Caxambu fica dentro do parque.

O Balneário Hidroterápico de Caxambu.
O Balneário Hidroterápico de Caxambu.

Conversei com moradores locais que me disseram que tomam todas as águas de todas as fontes, mas se você é um turista, pega leve… lembre que as águas possuem propriedades medicinais e o excesso, para quem não está habituado, por dar uma bela dor de barriga e estragar o passeio (palavras de nossa guia local) 😉

O Parque das Águas de Caxambu.
O Parque das Águas de Caxambu.
O lago do Parque das Águas de Caxambu.
O lago do Parque das Águas de Caxambu. Lindo!!!

Quando falavam em fontes, eu imaginava “foooontes” com abundância de água jorrando, nada disso! 🙂 As fontes são pequenas bicas d’água, não são fontes jorrantes, caudalosas como uma Fontana di Trevi (Roma).

Fonte D. Isabel e Conde D’Eu
A 1ª que conhecemos e experimentamos a água foi a fonte D. Isabel e Conde D’Eu. A água dessa fonte tem um forte saber de ferro. A Ana, nossa guia local, nos disse para experimentarmos “um dedinho”, fazer degustação da água, não era para entornar um copo cheio rsss.

Características químicas da água da fonte D. Isabel: Água mineral bicarbonatada, alcalina terrosa cálcica, alcalino terrosa magnesiana, ferruginosa, carbogasosa, fluoretada e radioativa.

Parque das Águas, fonte D. Isabel e Conde D´Eu
Parque das Águas, fonte D. Isabel e Conde D´Eu

Conforme relatos da história, a Princesa Isabel não conseguia engravidar por causa de problemas de saúde e veio para Caxambu, com seu marido o Conde D’Eu, para fazer um tratamento com as águas medicinais de Caxambu, isso aconteceu em 1868. Na época, Caxambu pertencia ao município de Baependi. A vinda da Princesa foi um acontecimento local, cheio de pompa e circunstância como era de se esperar pela visita de tão ilustre casal. A Princesa Isabel fez a promessa que se conseguisse a cura de sua infertilidade (atestada dois anos antes) agradeceria à santa, mandando construir uma Igreja. A pedra fundamental da construção da Igreja de Santa Isabel de Hungria foi lançada em 1868, pela princesa.

Parque das Águas, fonte D. Isabel e Conde D´Eu
Parque das Águas, fonte D. Isabel e Conde D´Eu

Na verdade, o problema da infertilidade de D. isabel, devia-se a uma anemia que foi curada com as propriedades minerais das águas de Caxambu.

Fonte D. Leopoldina
Essa foi a segunda fonte que paramos para degustação.  A Fonte Dona Leopoldina foi captada em 1850. O projeto arquitetônico original é datado de 1912 com carimbo de “Societé Anonyme des Aciéries D’Angleur” “Tilleur – Belgique” e está arquivado no IEPHA. O prédio que abriga a fonte possui cúpula erguida por pilastras e o chão é de cerâmica antiga e em estilo greco-romano.

Fonte D. Leopoldina no Parque das Águas em Caxambu - MG
Fonte D. Leopoldina no Parque das Águas em Caxambu – MG

A água dessa fonte não tem um gosto tão forte quando a da D. Isabel.

Nosso grupo fazendo a degustação da água na Fonte D. Leopoldina. Caxambu - MG
Nosso grupo fazendo a degustação da água na Fonte D. Leopoldina. Caxambu – MG

Fonte D. Pedro II
É a mais antiga e simbólica do Parque das Águas. É atualmente considerada a mais importante pelo engarrafamento de sua água. De teor radioativo e carbônico e altamente gasosa, é indicada como água de mesa por sua natureza digestiva.

Fonte D. Pedro II no Parque das Águas, Caxambu - MG
Fonte D. Pedro II no Parque das Águas, Caxambu – MG

O Gêiser Floriano de Lemos
O Gêiser é uma fonte termal, em forma de cogumelo que é ativada todos os dias às 10h30 da manhã. A fonte jorra água mineral sulfurosa e as pessoas vão ao parque para banhar-se nessa fonte. A temperatura média da água é de 27º. O Gêiser é uma das principais atrações do Parque das Águas. Eu não fui tomar a ducha do Gêiser (por pura preguiça) mas outras pessoas de nosso grupo fizeram o banho nessa fonte.

O Gêiser do Parque das Águas de Caxambu.
O Gêiser do Parque das Águas de Caxambu.

Experimentamos outras fontes, mas não vou descrevê-las todas para a leitura não ficar cansativa. São essas as 12 fontes do Parque das Águas:

Fonte Beleza || Fonte D. Isabel e Conde D’Eu || Fonte D. Leopoldina || Fonte Dom Pedro
Fonte Duque de Saxe || Fonte Ernestina Guedes || Fonte Mayrink 1 || Fonte Mayrink 2
Fonte Mayrink 3 || Fonte Venâncio || Fonte Viotti || Gêiser Floriano de Lemos

Horário de Funcionamento e Preços
O Parque das Águas funciona diariamente das 7h às 18h.
Preços: Adultos R$5,00 (cinco reais), 60+ paga metade e crianças não consegui encontrar o preço. Preços válidos em abril de 2017.

O escultor Chico Cascateiro. Bambu ou argamassa?
Além das fontes, quando for visitar o Parque da Águas, observe as obras do artista Chico Cascateiro.

Casinha de boneca. Obra de Chico Cascateiro.
Casinha de boneca. Obra de Chico Cascateiro. Parque das Águas, Caxambu.

Francisco da Silva Reis, o Chico Cascateiro, foi um escultor português que usava argamassa imitando bambu, madeira e pedras na construção de suas obras. Passeando pelos Parque das Águas podemos admirar algumas obras desse artista português. É impressionante o trabalho feito por ele. Além de Caxambu, há trabalhos de Chico Cascateiro em São Lourenço, Passa Quatro e outras cidades de Minas Gerais.

Obra de Chico Cascateiro em Caxambu
Obra de Chico Cascateiro em Caxambu. Não é pedra, não é madeira, é argamassa!
Obra de Chico Cascateiro no Parque das Águas em Caxambu.
Obra de Chico Cascateiro, feita com argamassa. Parque das Águas em Caxambu.
Igreja Sta Isabel da Hungria, Caxambu, MG.
Igreja Sta Isabel da Hungria

A Igreja de Santa Isabel da Hungria
Por seu alto valor histórico, a Igreja de Santa Isabel da Hungria foi tombada pelo patrimônio histórico (IEPHA) em 1978. Ela situa-se no alto do morro, na parte mais elevada de Caxambu.

A escadaria que dá acesso à Igreja possui 128 degraus segundo nos informou nosso guia e charreteiro Fernando, mas para quem não quiser subir pelas escadas, há um caminho alternativo pela rua que passa ao lado da Escola Padre Correia de Almeida. Quem for subir de automóvel o caminho é esse e quem quiser subir a pé, por aqui pode ser mais fácil do que pela escadaria.

A Igreja fica ao lado do hospital da Santa Casa. Para visitar a Igreja, informe-se na recepção do hospital. Por dentro a Igreja é bastante simples, nós visitamos na Semana Santa e as poucas imagens estavam cobertas com um manto roxo, por tradição da Igreja Católica.

Interior da Igreja de Santa Isabel da Hungria.
Interior da Igreja de Santa Isabel da Hungria.

A Igreja de Santa Isabel da Hungria tem um grande valor como patrimônio histórico por ter sido mandada construir pela Princesa Isabel em agradecimento à cura de sua infertilidade. A histórica promessa feita em suas orações públicas foi lavrada em ata oficial de uma cerimônia realizada no alto do Morro de Caxambu.

A escadaria de acesso à Igreja de Santa Isabel da Hungria em Caxambu, MG
A escadaria de acesso à Igreja de Santa Isabel da Hungria em Caxambu, MG

O Teleférico de Caxambu
Inaugurado em 1988, o teleférico de Caxambu leva até o alto do morro passando sobre o lago e a mata do Parque das Águas. Para quem não tem medo de altura é um passeio bem legal. No alto do morro há um cruzeiro do ano de 1929 e uma estátua do Cristo Redentor. Tem lojinhas de artesanato, uma cafeteria e um restaurante para quem quiser ficar um tempo lá em cima jogando conversa fora.

Subindo no teleférico de Caxambu.
Subindo no teleférico de Caxambu.

A vista de cima do morro é espetacular. Quem tiver medo de subir de teleférico e quiser ir de automóvel é possível, há uma estrada que chega até o topo.

Horário de Funcionamento e Preços
O teleférico funciona todos os dias das 8h às 18 h.
Pagamos R$20,00 para o trajeto de ida e volta. Preço base abril de 2017.

Teleférico de Caxambu. Vista maravilhosa!!!
Teleférico de Caxambu. Vista maravilhosa!!!

O que fazer em Caxambu
– Visitar o Parque das Águas.
– Passear no teleférico.
– Visitar a Igreja Matriz, Nossa Senhora dos Remédios.
– Visitar a Igreja de Santa Isabel da Hungria.
– Conhecer as cidades próximas.

Onde se hospedar
Caxambu tem uma boa rede hoteleira para o porte da cidade, com várias opções de hospedagem. Acesse e confira.

Como chegar
Para quem vem do sul, a rota é por São Paulo.

Créditos: Descubra Caxambu

Os locais por onde andamos
Escrevi um post para cada lugar para melhor organizar os conteúdos, clique para ler.
Turistando no Sul de Minas
Caxambu e o Parque das Águas
São Tomé das Letras, a cidade das pedras
Visitando uma Fazenda Centenária no Sul de Minas
Baependi, a terra de Nhá Chica
São Lourenço e suas águas curativas

A cidade de Caxambu vista do morro do teleférico.
A cidade de Caxambu vista do morro do teleférico.

Referências
Fatos da História do Palace Hotel e de Caxambu – para quem gosta de história
IEPHA – Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais
Descubra Caxambu
Descubra Minas Gerais
Jardins e Sítios Históricos Brasileiros
Escola Padre Correia de Almeida

Veja também

10 comentários sobre “Caxambu e o Parque das Águas

  1. Olá Dilma, venho agradecer e retribuir a sua amável visita ao meu cantinho. Gostei muito deste post, morei no seu país (durante um ano apenas) no norte do estado de SP, então imagino que não estivesse muito longe de Caxambu. Que pena nunca ter ouvido falar do lugar antes… Achei admirável as fontes estarem todas assim disponíveis ao público. Aqui em Portugal, normalmente as bicas ficam dentro das estâncias termais e só os utentes têm acesso.

    P.S. adorei a origem etimológica do nome da cidade

    1. Obrigada Ruthia. Visitei vários posts de seu blog, gostei de todos. Vi que vc mora em Guimarães, eu conheci Guimarães no ano passado. Passamos 18 dias viajando por Portugal. Além das tradicionais Porto e Lisboa, andamos por outros lugares, exploramos cidades lindas e também pequenas vilas. Foi uma viagem espetacular que deixou saudades. Abs

  2. Ah! Caxambú é uma cidade fofa, bucólica! Tem anos que não vou. Acho que vou fazer uma visita com minha família…

  3. Que cidadezinha e parque legal, bem estilo do interior do Minas Gerais, deve ter uma comida excelente por ai?

  4. Quase fui em Caxambu quando morava em Minas mas acabei indo para São Lourenço, que tb é conhecida pelo seu complexo Hidromineral. Agora que estou morando em Brasília fica mais difícil p conhecer, mas quem sabe, né?

Deixe uma resposta