O Castelo Schwerin e a Encantadora Cidade dos Sete Lagos

Castelo de Schwerin e Jardim

Um dos passeios que mais vale a pena no norte da Alemanha é visitar o castelo de Schwerin. Essa pequena cidade é a capital do estado de Mecklenburg-Vorpommern e, apesar de ser a menor capital alemã, tem bastante coisa interessante pra se ver.

Conhecida como a Cidade dos Sete Lagos e a Florença do Norte, Schwerin realmente tem um ar meio “florencial”, pois é rica em artes e arquitetura e com um dos castelos mais lindos que já vi. E é essa a atração principal nesta cidade: o Castelo de Schwerin (Schweriner Schloss em alemão), que é considerado o Neuschwanstein do norte da Alemanha, não só pela sua importância turística para a região mas também pela arquitetura.

Mas enquanto o Neuschwanstein está no meio da floresta, o Castelo de Schwerin fica no meio do lago, ou melhor, dos lagos. Parece que foi a Disney que teve essa ideia de tão conto-de-fadas que parece.

Castelo de Schwerin no lago
Sonho!

Vou contar um pouco do por que você tem que conhecer essa cidade! Senta que lá vem história! hahahaha

A história do Castelo de Schwerin

Os primeiros registros de que existia uma construção no meio do lago nesta região datam de 973 D.C., e teoricamente era um forte dos povos eslavos polabianos. Em 1160 o forte se tornou um alvo de lordes germânicos durante a expansão territorial sob o comando de Henrique, o Leão. O forte foi destruído, mas sua posição estratégica e a beleza estética do local (eu achei isso bem engraçado, imagina um monte de general olhando os lagos e falando “ai que lindo, vamos fazer um também”) fez com que os alemães levantassem um novo forte no mesmo local. A fundação da cidade de Schwerin aconteceu no mesmo ano.

O castelo de Schwerin em detalhes
“Nossa, que graça, vamos fazer um forte aqui, General Herr Schneider?”

Entre o século XII e XIV, graças à prosperidade dos duques de Mecklenburg (que compraram o castelo em 1358 e viraram duques em 1348) houve várias mudanças arquitetônicas na fortaleza. Mas foi no século XVI que as maiores mudanças ocorreram. Schwerin deixou de ter um forte e passou a ter um castelo, cheio de ornamentos e luxo.

Ele foi reconstruído pelo mestre-construtor Georg Adolf Demmler a pedido do jovem grão-duque Mecklenburg-Schwerin, que queria um castelo moderno mas que representasse a história da família com toques da grécia e roma antiga, no melhor estilo historicista. O coitado do Demmler estava com dificuldade de desenhar algo que agradasse o grão-duque e ele foi enviado em uma viagem inspiradora pela europa, uma das inspirações foi o castelo de Chambord, no Vale do Loire. (gente, eu senti a dor do Demmler, quantos clientes já não me pediram um layout moderno porém clássico?)

Cúpula do castelo de Schwerin
Um dos muitos detalhes do castelo.

O projeto final contém partes da arquitetura renascentista do antigo forte do século XVI, juntamente dos novos adendos, surgindo, assim, um novo estilo: Neo-Renascentista. Tcharam! E foi assim que ele ficou essa coisa linda e importante, porém nada útil militarmente falando.

Interior do castelo de Schwerin e fonte
Um luscho!

Se você passear pelo exterior do castelo dá uma dúvida mesmo: ele é super bem localizado, uma posição estratégica e tudo, mas é o castelo mais de princesa que eu já vi, mais desprotegido que o Neuschwanstein. Poxa, o Neuschwanstein ainda tem um precipício, uns muros, é difícil de chegar, o de Schwerin só é lindão pra caramba. Hahahaha

Bom, a função dele a partir do século XVI era de ostentar mesmo, de mostrar a riqueza e bom gosto dos Mecklenburg-Schwerin. Uma coisa que notei recentemente com as minhas pesquisas sobre os meus antepassados é que muitos lordes ficavam ricos, com sei lá o que que eles faziam, e compravam castelos. Aí eram aceitos na alta sociedade e uma mágica social acontecia que elevava o tal lorde para duque, ou algo assim. E a ordem dos acontecimentos às vezes varia. (fonte: eu mesma) Vejam bem, não tenho embasamento histórico nenhum pra dizer isso, não passem essa informação pra frente.

Castelo de Schwerin no lago
Categoria defesa: zero. Mas beleza dez!

Mas se ele era só pra ser bonito, eles acertaram demais na mão. Eu já fui duas vezes pra lá e iria uma terceira só pra ficar olhando. Mas já aviso que mesmo em dia quente vem um vento absurdo nessa cidade. Todas as cidades do norte da Alemanha tem esse famoso vento e como a região do castelo de Schwerin é bem aberta por causa dos 7 lagos, o vento passa feliz da vida e vai bem na nossa cara.

Jardim com o castelo de Schwerin ao fundo
Moraria aí com certeza!

Uma curiosidade do castelo é que há um fantasma nele! Dizem que o fantasma do Petermännchen (O pequeno Peterman) é visto andando pelos salões do castelo de Schwerin. A aparição dizem que não tem mais que um metro e pouco e é normalmente visto vestindo roupas do século XVII, lembrando um cavaleiro. Um cavaleirinho no caso, né? hahahaha

O que ver no Castelo

Há dois passeios para se fazer: um que é só os jardins e parte externa e outro que inclui a visita interna. Nas duas vezes que visitei tive que pular a visita interna pois estava só de passagem, mas de tudo que eu li sobre vale a pena pegar essa visita se você tem tempo.

Aparentemente o castelo por dentro é um museu e muito bem decorado, então além da parte histórica tem algo como uma galeria de arte. Dizem que vale bastante a pena pegar o guia para saber mais sobre a história de todo o castelo.

Castelo de Schwerin
No sol ele fica ainda mais lindo!

O castelo tem 653 cômodos (mas obviamente nem todos estão abertos) com pisos de mosaico, ricos em entalhes em madeira, e tetos magníficos. O ponto alto da visita interna é a sala do trono. Com portas de ferro folheadas a ouro e colunas de mármore de Carrara. Além disso tem a galeria dos antepassados, sala de refeições, quarto da torre (que tem tipo um salão de jardim com vista panorâmica para o lago) e uma coleção invejável de porcelanas. Foi assim que me explicaram e fiquei morrendo de vontade de visitar, então na próxima vou incluir sim a visita interna!

A parte externa é composta do castelo (logicamente), toda a parte externa, terraços, jardins internos, todos os possíveis ângulos para se ver o castelo (vale a pena, ele parece algo diferente em cada um deles), o jardim Burggarten e os lagos (são sete).

Jardim do castelo de Schwerin
Uma parte do jardim.

O castelo em si já vale toda a tarde de passeio, cada detalhe dele, cada ângulo, cada canto é encantador. E ao sair do castelo você vê os lagos e o jardim, com seu túnel de sebe viva e as flores. Mas nem que eu tivesse que imaginar eu pensaria em algo tão bonito assim.

Jardim do castelo de Schwerin
Dar a volta no castelo é tipo andar num livro de conto-de-fadas.

Uma coisa que fizemos foi um piquenique na grama, olhando o castelo, mais gente estava fazendo e foi muito legal. A parte mais marcante foi sair correndo atrás dos nossos pratos de papelão pelo jardim todo e ver os outros fazendo o mesmo, porque ventava tanto que nada ficava no lugar. Mas se você se preparar para o vento, é perfeito.

Piquenique com o castelo de Schwerin ao fundo
Parecia uma ótima ideia mas o vento não quis colaborar.

A visita externa é gratuita e a interna é paga, custa 8,50€ a inteira e 6,50€ a meia. Tem audioguide por 2€ e a visita guiada é 3€. Não sei se tem em inglês ou português. Ah, o castelo está fechado nas segundas-feiras e nos outros dias abre das 10h-17h no inverno e das 10h-18h no verão. O jardim e a parte externa estão abertos todos os dias.

Como chegar no castelo

Se você vai de ônibus ou trem, você irá parar na estação central. De lá é muito fácil chegar no castelo, você pode ir à pé mesmo, a cidade é tão pequena que dá pra atravessar andando em esforço algum, principalmente a parte histórica. Encontramos o castelo basicamente seguindo o fluxo, raramente um trem chega em Schwerin e o povo não vai direto pro castelo. Mas se você estiver sem uma multidão pra seguir, há placas pelo caminho indicando, tem até o desenho do castelo nelas caso você não entenda a língua.

O castelo de Schwerin aos fundos do centro da cidade
E dá pra ver ele de longe!

De carro é só botar no GPS o Parkplatz Klosterstraße ou o Parkhaus Am Schloss, dois estacionamentos bem próximos do castelo, e depois ir andando.

O que mais ver na cidade

Além do castelo há também o centro histórico, museu estadual, o resto dos sete lagos na parte da cidade, antigo mercado, obelisco da vitória, o palácio Altes Palais, Marstall, antigo haras e sede administrativa, chancelaria do estado e a catedral.

A cidade é bem bonitinha e paramos para tomar um café e comer um bolo (Kaffee und Kuchen nosso de cada dia) no meio do centro histórico. É uma pausa muito gostosa que recomendo!

Além disso, se for ficar mais em Schwerin, dê uma olhada no calendário de eventos da cidade. Há vários festivais extremamente interessantes que se você estiver por lá vale a pena conferir. De festival de cinema a música, artes e teatro. Dá pra ver as datas aqui!

Dicas de roteiros na região

As duas vezes que fui para Schwerin passei também por Lübeck na volta para Hamburg. Você pode fazer bate e volta para a cidade direto de Berlin e de Hamburg se for ver só o castelo. Eu cheguei a fazer de Bremen e dá super certo, com direito a visitar Lübeck no caminho.

Se você quiser ver praias tem também as praias do mar báltico. Um balneário famoso é o Timmendorfer Strand, do ladinho de Lübeck. Não tem muito o que fazer mas se o dia estiver quente é uma boa desculpa pra dizer que já nadou no mar báltico. Ele é gelado até no verão e só os fortes e nativos fazem isso.

Minhas escolhas de pernoite seriam em Berlin, Hamburg, Lübeck e Bremen, mas Schwerin pode ser interessante também dependendo do roteiro que você montar. Para viagens mais longas dá pra incluir Copenhagen e Malmö. Depois volta por Hamburg, passa por Bremen e escolhe o que ver em seguida. Super recomendo!

E aí, ficou com vontade de visitar Schwerin? Deixe uma mensagem aqui pra gente! 🙂

Ah, e se ficou interessado nos roteiros que falei aqui em cima, temos tudo detalhado no blog. (falta Berlin mas eu juro que vou escrever logo!)

O castelo de Schwerin
Provando que era eu mesma tirando as fotos.
Para planejar sua viagem

Booking.com - Hotel, hostel ou apartamento? No booking.com é fácil de reservar e fácil de cancelar. Aproveite os descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis. Observe as regras de cancelamento de cada hospedagem.

Airbnb - Se viajar mais como local do que como turista é o seu estilo, no Airbnb você encontra casas, apartamentos e até quartos na casa de alguém.

Flixbus - A Flixbus é uma empresa de ônibus que atua em grande parte da Europa. São 1700 destinos em 28 países.

Aluguel de carro - Pensando em alugar um carro? Na Rentcars você paga em reais e sem IOF nas reservas internacionais feitas no Brasil.

Seguros Promo - Você escolhe a seguradora entre as mais famosas do mercado.

Reservas on-line de passeios, ingressos e outras atividades turísticas
No Brasil - TourOn
No exterior - GetYourGuide e Civitatis

Gostou do blog? 😊 O Conheci e Curti participa de programas de afiliados de empresas do setor de viagens e turismo. Isso significa que se você fizer alguma reserva através dos links aqui no blog você nos ajuda com uma pequena comissão. Você não paga nada mais por isso e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo para o Conheci e Curti!

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: