Bruges: sobre chocolates, waffles e cervejas

Ou também conhecido como “O dia que eu achei a melhor cerveja do mundo”.

Se eu pudesse definir Bruges com uma frase seria: Dá vontade de comer. Ela parece feita de pão-de-mel, tem cheiro de chocolate e baunilha e ainda tem cisnes pra todo lado, só pode ser de contos-de-fada.

Ela é romântica, sem dúvida, e não é só porque dá vontade de ir pra lá com a sua cara-metade, você vai se apaixonando por todos os detalhes da cidade. As casas, a comida, as pessoas e claro, os chocolates e as cervejas!

E foi nessa cidade que eu conheci algumas coisas imbatíveis que mexeram com o meu coração e estômago pra sempre. Se comer, beber e viajar é o que você mais gosta de fazer, a Bélgica é o lugar ideal pra você, então confira uns detalhes dessa cidade que eu descobri (por acidente)!

Beer, Bier, Bière, Cer-ve-ja

Berço das melhores cervejas do mundo (e da melhor cerveja do mundo), a Bélgica vai te deixar de queixo caído com tantas opções lindas e baratas para comprar. Você encontra cervejas como a Delirium a preços módicos no supermercado. E se for em um armazém de cerveja, e tem muitos pela cidade, você vai descobrir que vai precisar de 3 encarnações para experimentar todas da devida maneira. Isso porque elas são bem fortes. É normal uma cerveja ter 9% de álcool nessas redondezas, então mesmo uma desgustaçãozinha de nada te deixa bem alegrinho.

bruges_beerwall_2be_bar_02
Me deseje, humano!

Como por exemplo a degustação de cerveja no 2Be-Bar, você pode escolher alguns menus pré-definidos. Eu não sabia, então já tinha escolhido as cervejas que eu queria beber. Cheguei no caixa e a mulher me conta essa triste novidade, mas eis que as cervejas que eu escolhi eram exatamente as do menu “strong”. Manjo muito.

bruges_beerwall_2be_bar_degustacao
Faz cara de entendedor de cerveja e se joga

Melhor degustação: 2Be-Bar / Beerwall
Melhor armazém: The Bottle Shop

A melhor cerveja do mundo: Trappist Westvleteren

Um dia meu irmão fez um tour pela Bélgica e achou a Trappist Westvleteren 12, a melhor cerveja do mundo, super difícil de achar e nem sempre os vendedores aceitam vender para você. Sim, você tem que merecer a tal cerveja!

E por que ela é considerada a melhor cerveja do mundo? Bom, começando pela exclusividade: oficialmente ela é vendida somente na abadia de Sint-Sixtusabdij Westvleteren (quê?!), onde ela é produzida pelos monges trapistas. E você vai perceber que na Bélgica tem muita cerveja “Trappist”, que são as cervejas produzidas por monges trapistas, mas essa em especial eles não fazem produção em escala comercial, eles as vendem mas produzem um número limitado dela e vendem só para alguns estabelecimentos. Normalmente você encontra ela em bares muito locais, e não é o tipo de cerveja que você pode comprar depois de tomar várias outras, lembre-se você tem que merecer a cerveja, não importa se você tem dinheiro pra comprar.

Essa cerveja tem uma coisa que acho genial: ela não tem rótulo, parece uma garrafa normal de qualquer coisa, a única coisa que te faz saber que ela é ela é a tampinha. Eles tem 3 tipos: A “Blonde” (tampa verde), A “8” (tampa azul) e a “12” (tampa amarela). Todas são incríveis mas a 12 é a tal melhor do mundo.

Inveje meu estoque, baby.

E como eu disse antes, não se acha em todo lugar, mas com um pouco de sorte você acha ela do jeito que eu achei. Senta que lá vem história. Lá estava eu esperando o ônibus que me levaria para a estação central, de saída da cidade, já de mala na mão e tudo, quando vejo do outro lado da rua “The Bottle Shop“, um armazém de cerveja. Como depois da degustação que fiz queria muito comprar umas garrafas (até aqui na Alemanha é difícil achar cerveja belga), atravessamos a rua só pra ver. E eis que entrei nisso aqui:

Mãe, no céu tem cerveja?

Gente! É o paraíso da cerveja! Eu fiquei emocionada, elas eram lindas, eram muitas, quanto brilho, coisa linda de Deus (por falar em Deus, até a Deus tava lá). E enquanto eu pulava de uma prateleira à outra montando meu kit-felicidade-cervejas-belga-edição-limitada o cara da loja dava risada da minha cara, eu sempre adicionando mais uma. Quando já estávamos fechando a conta, eu olho pro lado do balcão do caixa e no chão (SIM no chão!) estavam elas, as garrafas (no plural!) sem rótulo e de tampa colorida. Perguntei para o vendedor como ele tinha tantas, ele deu risada e disse que não sabia, deviam gostar muito deles. <3

Com tudo isso de cerveja Westvleteren pra vender, quem não ia gostar de vocês, moço?

Diz a lenda que a 8 e a 12 são melhores para beber depois de alguns anos, pois elas são cervejas para serem guardadas por muito tempo. Por via das dúvidas a minha 8 tá aqui guardadinha pra um momento especial. (Por favor, momento especial, apareça logo, quero muito experimentar!)

Waffles, Waffles, Waffles

Ah, os Waffles, essa maravilha gastronômica que parece que só os Belgas realmente alcançaram a perfeição da arte. Viajei para Bruges com apenas um pensamento: quero-comer-waffle (e beber cerveja belga). Pasmem: Waffle não é típico em todo lugar da Bélgica. Mesmo com esse tamanhico o país ainda guarda regionalidades que vão além do idioma. Experimentei vários, com morango, com chantilly, banana, chocolate, sorvete, com tudo junto misturado. Em restaurante ou em barraquinha de rua, eles são maravilhosos, mas veja como eles preparam, alguns não capricham tanto no conteúdo e você fica com cara de choro quando recebe.

Waaaaaffles!

Melhor waffle: morango com chantilly
Onde: Place de Brugge

Milkshake de Banana

Eu achei que nada mais iria ser tão bom quanto os waffles belgas até que eu conheci o Milkshake de Banana, em letras maíusculas mesmo. Experimentei outros nessa cidade e em outras da viagem mas o “Place de Brugge” ganhou de novo, eles não só tem o melhor waffle que eu comi, mas também o melhor Milkshake de Banana. Sei que não faz parte do passeio normal de Bruges, mas fica a dica, é bom e as meninas que atendem são incrivelmente simpáticas!

Melhor canto de Bruges

Desde a primeira ida à Bruges eu lembro desse canto. Estava chovendo (que novidade) e eu e minha irmã demos uma fugida do refúgio que estávamos pra tentar ver algo da cidade durante os 5 minutos de trégua com São Pedro. Demos uma volta aqui, outra lá, nos perdemos e caímos no canto mais romântico da cidade. Fica atrás da Igreja de Nossa Senhora de Bruges (Onze Lieve Vrouwekerk para os entendedores) e eu achei o lugar mais simpático até então. E não deixe de explorar os canais de Bruges, o parque Koningin Astrid e o museu de arte Flamenca (Groeninge Museum), Bruges é super pequena e dá pra fazer tudo à pé.

Certeza que tiraram isso aqui de um conto-de-fadas
Certeza que tiraram isso aqui de um conto-de-fadas

Onde: Mariastraat, mas vá explorando os canais até achar, vale a pena.

Melhor surpresa: Trilha sonora na Marktplatz

A praça do meu coração

Já imaginou chegar em Bruges e ser recepcionado por uma orquestra na Marktplatz? Aconteceu comigo em 2011. Tinha acabado de por os pés na cidade, chegando na Marktplatz mais estonteante que eu tinha conhecido até então (e que mora eternamente no meu coração como a mais amada) e do nada ouço o rufar de tambores. Oh, meu Deus, o que está acontecendo? Resolvo ir em direção ao som, e eles começam a tocar:

Provavelmente não vai acontecer com você, desculpe. Mas a Marktplatz sem orquestra já é linda, de cair o queixo e palpitar o coração. De dia e de noite, se for passar um pernoite na cidade, dê um pulo quando anoitecer. Eu sei que mesmo no verão as noites belgas são congelantes e existe uma constante probabilidade de chuva de 97%, mas vale tanto à pena! Tem alguma coisa nessa praça que encanta todo mundo, então sente na escada da estátua e aprecie um lado com calma, depois mude e aprecie as casinhas mais lindas do mundo. E se couber no seu bolso, coma em um dos restaurantes da praça e aprecie tudo mais um pouco.

E as casinhas mais lindas do mundo
As casinhas mais lindas do mundo

A difícil arte de sentar em um restaurante

Basicamente todos os restaurantes de Bruges vão ser carinhos e muitos exigem reserva. E sei lá por que os estabelecimentos de lá não gostam de muita gente. Se está ficando cheio o lugar eles te avisam que está lotado de um jeito tal que você sente que deve ir embora instantâneamente, e eles nem pedem desculpas por isso, na verdade você acaba pedindo. Isso faz com que as suas opções de boa comida se restrinjam ao que tem na praça e a sua sorte.

Nem no Hobbit deu pra achar lugar, mddc!

O dia que paguei a língua em poucos minutos

Quem me conhece sabe que sou cruel com arte, não acho tudo lindo só porque é famoso não. E como já sabem, a Marktplatz de Bruges mora no meu coração. Então tive uma úlcera quando vi que botaram uma porcaria de um espelho bizarro no meio dela e tiraram toda a finesse e gramur da praça.

Quem teve essa maldita ideia?

Xinguei muito no twitter e depois xinguei mais um pouco pra ter certeza que tinha gastado todo o ódio do meu coração. Até que cheguei perto dela e descobri que ela era muito legal de tirar foto. Paguei a língua e viramos melhores amigas.

Olha, mãe, que legal isso aqui!

Claro que Bruges tem muito mais pra se ver e visitar. Eu nem passei perto de falar dos lugares famosos, mas foi de propósito, isso todo mundo te conta. Eu queria dar aquelas dicas que a gente nunca acha na internet, quase um papo de boteco, chá da tarde, cafezinho, essas coisas.

E sabe aquela história que aconteceu com você em uma viagem e você pensou “que legal isso aqui, preciso lembrar pra contar pra galera” mas nunca conta pra ninguém? Se tiver uma deixe nos comentários, afinal não só de chocolates e cervejas vive Bruges. 😉

Booking.com

Que conhecer Bruges e está procurando um lugar para ficar? Acesse o booking.com e pesquise qual das opções que cabe no seu bolso. Ah! E fique de olho nas ofertas, já encontrei desconto de mais de 40%!!

Veja também

14 comentários sobre “Bruges: sobre chocolates, waffles e cervejas

  1. Adorei a parte de ter que merecer a cerveja…hahaha Já tinha escutado falar dessa cerveja, mas não sabia os detalhes. =)
    Pra mim, qualquer lugar com Delirium a um preço honesto…me deixará feliz. rs

    Sobre a escultura, fiz História da Arte e adoro ver essas coisas. Me fez lembrar um pouco o conceito do Anish Kapoor sobre a peça refletir o entorno e incorporá-lo ao mesmo tempo. Você sabe de quem é a peça? É uma escultura permanente?

    1. Eu sempre fico curiosa com intervenções artísticas mas sou bastante crítica sobre elas, acho que precisam de um motivo ou conceito muito forte para interferirem nos espaços. Depois do meu passeio, pesquisei sobre essa peça e ela se chama “1:1 Connect: DiamondScope”, do artista norueguês Vibeke Jensen. Foi feita para o Triennale de 2015 então não está mais lá. Eu gosto muito dos trabalhos dele, sempre trazem uma segunda camada na peça que não dá pra entender apenas olhando.

      Aí lembrei que a maioria das peças de Vibeke Jensen são interativas e não poderia ser que essa peça fosse apenas para refletir a praça, é um conceito muito básico para ser dele. Resolvi pesquisar mais ainda e descobri que dava para entrar na estrutura! É muito interessante o efeito óptico e a crítica que ele propõe. 🙂

      Se quiser dar uma olhada, achei esse link aqui que descreve bem todas as obras da Triennale: http://u-in-u.com/triennale-brugge/2015/projects/vibeke-jensen/

  2. Já fui duas vezes a Bruges e acho que preciso voltar mais uma, pelo menos, ha ha ha. Essa “linda” escultura não estava na praça, quando fui…
    Parabéns pelo post!!!
    Abraços,
    Carolina

  3. Bruges só me encanta! quando penso em juntar chocolates deliciosas, cervejas ótimas, começando o dia com waffles, só consigo definir em uma palavra: felicidade haha E ainda tem essa arquitetura magnifica 😀

  4. Adorei teu modo de relatar tua ida a Bruges
    😉
    Deu mais vontade do que eu jà tinha!

    E eu que achava que Berlim era o paraíso das cervejas
    hahahaha
    Ok! Eu sei que não! Mas bebíamos mais cervejas que àgua quando moramos là!

    E eu me vi com você correndo que nem louca na The Bottle Shop!
    😉

  5. Brugges, é uma cidade muito linda e romantica, mas o que mais gostei de lá são as variedades de tipos de cerveja e como são baratos.

  6. Sou apaixonado por cerveja Belga, Bruges é um sonho e consegui viajar um pouquinho pra lá através deste post. A última vez que tomei muita cerveja belga e cheguei mais perto desta deliciosa culinária foi no Belga Hotel no Rio de Janeiro!

    1. A Bélgica é um atentado a qualquer regime! hahahahaha
      Mesmo que você não esteja com fome, aquele constante cheiro de chocolate dá uma fome danada e pra piorar você passa por lojas de chocolate maravilhosas a cada 100m!

Deixe uma resposta