Estátua de Pedro Álvares Cabral, na aldeia de Belmonte, Portugal.

Belmonte, a vila onde nasceu Pedro Álvares Cabral

A vila de Belmonte está situada no Monte da Esperança, em cujo morro mais rochoso foi construído nos finais do séc. XII o seu Castelo.

Belmonte foi a 4ª Aldeia Histórica que conhecemos. Minha ideia inicial era fazer o roteiro de três Aldeias (Belmonte, Sortelha e Castelo Novo) com uma agência da cidade de Belmonte. Encontrei a agência na internet, achei o programa legal, mantive um contato por facebook, enviei e-mail falando de nosso interesse e se havia possibilidade de nos encaixarmos em algum grupo organizado por eles para o dia 03 de setembro, sábado, mas infelizmente não obtive resposta. Penso que poderiam ter respondido alguma coisa, dizendo não ser possível, não haver grupo formado para aquele sábado, ou não haver espaço no grupo para mais quatro pessoas, sei lá, alguma coisa, qualquer coisa ficaria mais simpático do que nada. 🙁 Assim, conhecemos Belmonte, por conta própria, como estávamos fazendo até então.

Uma rua de Belmonte, Portugal.
Uma rua de Belmonte, Portugal. Foto: Maria Eugênia

A vila de Belmonte fica 30 km ao sul de Guarda. Nesse dia nosso programa era Belmonte, Sortelha e depois Monsanto onde ficaríamos hospedados. 100 km de estrada e 2 horas de viagem.

Nossa primeira parada foi no Largo António José de Almeida onde se encontra a estátua de Pedro Álvares Cabral. Seguindo pela Rua Pedro Álvares Cabral, chegamos nesse Largo, meio por acaso e nos deparamos com a estátua de Cabral totalmente por acaso.


A estátua de Cabral
A estátua de Pedro Álvares Cabral foi executada pelo artista português Álvaro de Brée, em 1961. Sua inauguração aconteceu em 1963, pelo então Presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek de Oliveira. Em Portugal só existem três estátuas de Cabral, essa em Belmonte, uma em Lisboa e outra em Santarém.

Estátua de Pedro Álvares Cabral, na aldeia de Belmonte, Portugal.
Estátua de Pedro Álvares Cabral, na aldeia de Belmonte, Portugal. Foto: Maria Eugênia.

Tiramos todas as as fotos possíveis com a estátua do “achador” do Brasil e seguimos com destino ao Castelo de Belmonte. Nessa altura da viagem, eu já havia visto tanto castelo medieval que eles já não eram mais tão fascinantes para mim, mas ainda assim encantavam! O castelo era pertinho, cera de 270 m de onde estávamos, mas como já havíamos aprendido que todo castelo medieval é em cima de um morro, fomos de carro. 🙂

O Castelo de Belmonte
Foi de D. Afonso III a autorização para a construção de uma torre e do castelo de Belmonte. Essa autorização foi concedida ao bispo D. Egas Fafes no ano de 1266.

O Castelo de Belmonte, terra de Pedro Álvares Cabral.
O Castelo de Belmonte, terra de Pedro Álvares Cabral. Foto: Maria Eugênia.

Embora pertencendo à Coroa, o Castelo de Belmonte era administrado por um alcaide local e desde 1398 que esse cargo estava ligado aos Cabrais. O primeiro alcaide foi Luís Alvares Cabral. Em 1446, D. Afonso V doou o castelo a Fernão Cabral, pai de Pedro Álvares Cabral, para a construção de sua residência. Fernão Cabral foi o primeiro alcaide-mor. Com ele se iniciou, no século XV, a época de maior destaque do Castelo e de Belmonte.

Eu também queria ganhar um castelo!! 😉

Muralha oeste do Castelo de Belmonte em Portugal.
Muralha oeste do Castelo de Belmonte em Portugal. Foto: Maria Eugênia

Nessa muralha (foto acima) ainda é possível ver janelas panorâmicas e uma janela de estilo manuelino (no destaque, foto abaixo) que confirmam a adaptação do castelo para residência.

Castelo de Belmonte, Portugal.
Janela manuelina na muralha lateral do Castelo de Belmonte.

Observe que há uma distância de quase 200 anos entre a autorização para a construção e a doação do castelo. Embora os dois reis sejam “Afonso”, há uma distância temporal enorme entre eles. Veja aqui na Casa Real Portuguesa. O Castelo foi declarado como Monumento Nacional, em 1927.

Portal de entrada do Castelo de Belmonte, Portugal.
Portal de entrada do Castelo de Belmonte, Portugal.

No interior da torre de menage do castelo funciona um museu onde é exibido o material arqueológico resultado das escavações efetuadas.

Interessante que em Belmonte (não sei se em todo Portugal) eles se referem ao “achamento” do Brasil. Quando visitamos a cidade, em agosto de 2016, estava em exposição no Castelo a carta do achamento do Brasil, escrita por Pêro Vaz de Caminha.

Exposição da Carta do Achamento do Brasil.
Exposição da Carta do Achamento do Brasil.

Foi a 1ª vez que a Carta de Pêro Vaz de Caminha estava sendo exposta fora de Lisboa. A carta que Caminha escreveu para D. Manuel I, contando sobre o “achamento” dessa nova terra (nós aqui), saiu da Torre do Tombo de Lisboa, com um enorme esquema de segurança para ficar durante seis meses exposta à visitação pública numa sala do Castelo de Belmonte onde foram criadas condições especiais para proteção e preservação do documento. Nós não chegamos a entrar na exposição para ver a carta, hoje eu tenho um grande arrependimento de não ter feito isso. 🙁

Interior do Castelo de Belmonte, Portugal.
Interior do Castelo de Belmonte, Portugal.

Igreja de Santiago e o Panteão dos Cabrais
A Igreja e o Panteão ficam bem próximos do Castelo. Na imagem do Google (abaixo) dá para observar um grande largo pavimentado com paralelepípedos, o Castelo à esquerda e a Igreja e o Panteão um pouco mais à direita.

Após a vista ao Castelo fomos conhecer a Igreja de Santiago e o Panteão dos Cabrais, onde está sepultado Pedro Álvares Cabral. Faltavam 10 minutos para as 13 horas e a Igreja fechava às 13h. Fizemos uma visita super rápida e contamos com a compreensão e simpatia da pessoa que atendia no local. Às 13 horas saímos da Igreja e do Panteão.

A Igreja de Santiago e o Panteão dos Cabrais formam um conjunto classificado como Monumento Nacional. Supõe-se que a construção é de 1240, quando D.Maria Gil Cabral mandou erguer no local a Capela de Nossa Senhora da Piedade. Em 1433, os pais de Pedro Álvares Cabral mandam edificar a Capela dos Cabrais.

Interior da Igreja de Santiago em Belmonte, Portugal
Interior da Igreja de Santiago em Belmonte, Portugal. Foto: Maria Eugênia

A pintura da capela-mor data da era de quinhentos. A figura ao centro representa Santiago que se apresenta em forma de peregrino, ao seu lado esquerdo Nossa Senhora da Esperança e ao lado direito a figura de São Pedro, calvo e de barbas brancas.

A pintura da capela-mor da Igreja de Santiago em Belmonte, Portugal.
A pintura da capela-mor da Igreja de Santiago em Belmonte, Portugal.

Os restos mortais de Pedro Álvares Cabral encontravam-se na Igreja da Graça, em Santarém, e foram trazidos para Belmonte em 1961.

Urna com os restos mortais de Pedro Álvares Cabral. Belmonte, Portugal
Urna com os restos mortais de Pedro Álvares Cabral em Belmonte, Portugal.

A torre sineira só foi construída em 1860.

A torre sineira
Belmonte, a torre sineira.

O sino
O sino da torre. Foto Maria Eugênia

Em Belmonte há o Museu dos Descobrimentos, o Museu Judaico, o Ecomuseu do Zêzere e o Museu do Azeite. Para mim, interessava ver o Museu dos Descobrimentos, por motivos óbvios. 🙂

O Museu dos Descobrimentos
O edifício que foi residência da família Cabral, atualmente abriga a Biblioteca e o Arquivo Municipal. Na fachada principal, sobre o portão, ostenta o brasão dos Condes de Belmonte. No terreno da residência foi construído o Museu dos Descobrimentos.

O Museu dos Descobrimentos, Belmonte - Portugal.
O Museu dos Descobrimentos, Belmonte – Portugal.

O Museu dos Descobrimentos/Centro de Interpretação “À Descoberta do Novo Mundo (DNM)” surge da vontade da Câmara Municipal de Belmonte em dar a conhecer um dos maiores feitos de sempre da História das Descobertas Portuguesas – o Achamento do Brasil. Este espaço propõe-se dar a conhecer, estudar e divulgar o feito de Pedro Álvares Cabral e a explorar a História da maior nação de expressão portuguesa, que ao longo de cinco séculos construiu-se através de uma extraordinária convivência de culturas. Texto extraído do site da Câmara Municipal de Belmonte.

Museu dos Descobrimentos.
A chegada. Foto: Mª Eugênia

Museu dos Descobrimentos.
A Nau. Foto: Mª Eugênia

Museu dos Descobrimentos.
Cabral . Foto: Mª Eugênia

Museu dos Descobrimentos.
Os escravos. Foto: Mª Eugênia.

Horários de visitação

Aberto de terça a domingo
HORÁRIO DE INVERNO (15 de Setembro a 14 de Abril)
das 9h00 às 12h30m e das 14h00m às 17h30m
HORÁRIO DE VERÃO (15 de Abril a 14 de Setembro)
das 9h30m às 13h00m e das 14h30m às 18h00m
Fechado
Segundas-feiras, 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro.

Preços – A vista ao museu é paga e os preços são diferenciados dependendo da faixa etária. Há também a possibilidade de comprar ingresso combinado. Veja no site da CM-Belmonte.

Torre de Centum Cellas
A Torre de Centum Cellas é talvez um dos monumentos mais espetaculares de Belmonte. De acordo com os estudos feitos após as escavações na década de 90, seria uma vila romana do Século I d.C. de propriedade de Lucius Caecilius um abastado cidadão romano, negociante de estanho.

Foto créditos: Câmara Municipal de Belmonte

Não chegamos a visitar a Torre por aquelas bobagens que a gente faz nas viagens, mas quem estiver planejando uma viagem às Aldeias Históricas de Portugal, for passar por Belmonte e gostar de história, eu recomendo colocar a visita à Torre de Centum Cellas no roteiro.

Onde comemos
Após visitarmos o Panteão dos Cabrais, saímos procurando um local para almoçar, queríamos algo simples, simpático e saboroso. Fomos andando, procurando e chegamos no Restaurante As Ferreirinhas. Paramos na porta, espiamos para dentro, achamos legalzinho e fomos recebidos com muita simpatia pela proprietária que nos convidou para entrar.

O restaurante As Ferreirinhas em Belmonte.
O restaurante As Ferreirinhas em Belmonte.

Meu stress em viagem é sempre a refeição! 🙁 Depois das habituais dúvidas e indecisões sobre o que e quanto pedir, nos decidimos pelo prato do dia, é tipo menu, com entrada, prato principal e sobremesa. A comida é caseira, muito gostosa e preparada pelo proprietário. Saímos tarde do restaurante, ele já estava vazio e pedi autorização da proprietária para fazer algumas fotos.

Restaurante As Ferreirinhas. Belmonte, Portugal
Olha nossa bandeira no interior do restaurante As Ferreirinhas. Belmonte, Portugal

Horário de funcionamento do restaurante: das 9h às 24h.
Endereço: R. Alm. Cândido dos Reis, 7, Belmonte.

Adorei a sobremesa 🙂 🙂 🙂

Restaurante As Ferreirinhas, Belmonte - Portugal.
Oh, delícia de sobremesa! Restaurante As Ferreirinhas, Belmonte – Portugal.

Após conhecermos Belmonte seguimos para Sortelha, a quinta Aldeia Histórica que iríamos conhecer nessa viagem, e em seguida Monsanto, onde iríamos pernoitar na encantadora Casa da Tia Piedade.

Os posts dessa viagem, ou por onde andamos 
Portugal, um país para conhecer, curtir e voltar…
Chegando em Lisboa
– A Vila de Óbidos, a prenda de casamento da Rainha Santa Isabel
Mosteiro de Alcobaça, Pedro e Inês de Castro
O Mosteiro da Batalha, Aljubarrota e a promessa de D. João de Avis
Coimbra
Coimbra e Mosteiro de Santa Clara-a-Velha
Coimbra em fotos
A Universidade de Coimbra
Braga, o Coração do Minho
Fotos do Santuário do Bom Jesus do Monte
Guimarães, Aqui Nasceu Portugal
A Quinta da Aveleda, o passeio e a degustação de vinhos
A Serra da Estrela e as Aldeias de Portugal
A aldeia histórica de Trancoso e muitas emoções nesse dia
A aldeia de Marialva e o Museu do Côa
A aldeia de Castelo Rodrigo e a bronca das meninas
A aldeia de Sortelha em Portugal
A aldeia de Monsanto e a Casa da Tia Piedade
e muito mais…
Foto de capa: Maria Eugênia

Quer ficar hospedado em Belmonte ou região? Pesquise aqui as opções de hospedagem. No booking.com você reserva, cancela e altera suas reservas com muita facilidade e consegue os melhores preços. Acesse e confira.

Booking.com - Melhor site de reserva de hotéis
Booking.com – O melhor site de reserva de hotéis

Referências
Aldeias Históricas de Portugal
Câmara Municipal de Belmonte
Carta de Pero Vaz de Caminha em Belmonte
Arquivos Digitalizados

As Aldeias Históricas que conhecemos. Inspire-se  aqui e conheça, você vai gostar.  🙂
Trancoso || Marialva || Castelo Rodrigo || Belmonte || Sortelha || Monsanto || Idanha-a-Velha

Veja também

Um comentário sobre “Belmonte, a vila onde nasceu Pedro Álvares Cabral

Deixe uma resposta